Coronavírus explica menos de metade das mortes em excesso do último mês

Das 1.132 pessoas que morreram a mais em outubro (quando comparado com 2019), apenas 46,5% foram justificadas com o novo coronavírus, revelou o Instituto Nacional de Estatística.

O número de pessoas infetadas com o novo coronavírus tem subido a um ritmo elevado, sobretudo desde o final do verão. Mas os dados mostram que a doença é responsável por menos de metade das mortes que têm ocorrido em excesso. Ainda assim, apesar do peso reduzido, há que ter em conta os riscos que a Covid-19 representa para as pessoas, sobretudo as mais vulneráveis.

Desde 2 de março, dia em que apareceram os dois primeiros casos de infeção em Portugal, e 1 de novembro, foram registadas um total de 77.249 mortes no país, mais 8.686 do que a média do mesmo período dos últimos cinco anos. Porém, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), apenas 29,3% (2.544) deste excesso foram mortes justificadas pela Covid-19.

Durante esse período, comparando com a média de óbitos observados no período homólogo de 2015 a 2019, “o maior aumento do número de óbitos registou-se na região Norte”, com 3.638 mortes a mais, refere o INE, à frente da Área Metropolitana de Lisboa (2.400 óbitos a mais), do Centro (1.515 óbitos a mais) e do Alentejo (771 óbitos a mais).

Numa análise mais fina, observando apenas o período entre 5 de outubro e 1 de novembro, numa altura em que a pandemia bateu sucessivos recordes, os dados são ainda mais significativos. Nas últimas quatro semanas morreram 1.132 pessoas a mais do que a média, das quais 526 (46,5%) foram por causa do novo coronavírus. Ou seja, em outubro, o Covid-19 foi responsável por menos de metade das mortes em excesso.

Comparando os dados portugueses com os dados de 20 países europeus, o INE indica que “a mortalidade no conjunto destes países foi, nas primeiras semanas de 2020, inferior à média de 2016-2019”, com Portugal a registar uma “evolução semelhante”. Contudo, “nas duas últimas semanas o excesso de mortalidade em Portugal voltou a acentuar-se comparativamente com o conjunto de países europeus”.

Atualmente, há 81.141 pessoas infetadas com coronavírus em Portugal, tendo a doença provocado até ao momento 3.181 vítimas mortais. Os dados mais recentes, divulgados esta quinta-feira, davam conta de 5.839 novos casos de infeção e 78 novos óbitos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Coronavírus explica menos de metade das mortes em excesso do último mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião