Governo espanhol autoriza compra da Viesgo pela EDP

  • Lusa
  • 9 Dezembro 2020

O acordo de compra, pela EDP, inclui todos os ativos da Viesgo, entre os quais se encontram distribuidoras elétricas com mais de 695.000 pontos de abastecimento.

O Conselho de Ministros espanhol aprovou esta quarta-feira o acordo de compra, pela EDP, dos ativos da elétrica espanhola Viesgo, uma operação avaliada em 2.700 milhões de euros que duplicará o negócio da empresa portuguesa em Espanha.

O acordo do Conselho de Ministros autoriza o investimento da Energias de Portugal (EDP) nas sociedades Fresco International, Viesgo Producción, Viesgo Renovables e Viesgo Europa, de acordo com a agência espanhola Efe. A aprovação pelo Governo espanhol produz-se depois de no passado dia 29 de outubro a Comissão Europeia (CE) ter aprovado a compra.

A EDP anunciou em meados de julho que tinha alcançado um acordo com o fundo de investimento australiano Macquarie, acionista da Viesgo, para a compra de ativos da empresa espanhola.

O acordo inclui todos os ativos da Viesgo, entre os quais se encontram distribuidoras elétricas com mais de 695.000 pontos de abastecimento, 0,5 gigawatts (GW) de geração de energia renovável e duas centrais de geração térmica que se encontram em processo de desmantelamento e que contam com quase um GW de potencial direito de acesso à rede.

A EDP, que entrou em Espanha com a aquisição da elétrica Hidrocantabrico, integrará os ativos renováveis na sua filial EDP Renováveis, gerirá os direitos de ligação depois do fecho das centrais de carvão e constituirá, com a Macquarie, uma aliança para os negócios de distribuição elétrica da Viesgo, Begasa e E-Redes. Na nova sociedade, a Macquarie tem 24,9% da sociedade e a EDP, que a irá gerir, 75,1%.

No passado dia 15 de julho, a EDP anunciou um aumento de capital em mais de mil milhões de euros para financiar a compra da espanhola Viesgo.

“A transação da Viesgo será parcialmente financiada através de uma oferta pública de subscrição de 1.020 milhões de euros, um aumento de capital social com subscrição totalmente garantida até um máximo de 309.143.297 novas ações da EDP, representativas de um total de aproximadamente 8,45% do capital social da EDP, com subscrição reservada a acionistas no exercício dos seus direitos de preferência e outros investidores que adquiram direitos de subscrição”, de acordo com informação remetida então ao mercado.

O aumento de capital da EDP, realizado no âmbito da compra da espanhola Viesgo, foi totalmente subscrito, com uma procura de 256% face à oferta, comunicou a empresa ao mercado no dia 07 de agosto.

A EDP “torna público que foi totalmente subscrito o aumento de capital social” de 3.656.537.715 euros para 3.965.681.012 euros, “compreendendo a emissão de 309.143.297 ações ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de 1,00 euro cada, ao preço de subscrição unitário de 3,30 euros com um ágio [juro] de 2,30 euros por nova ação”, pode ler-se no comunicado enviado pela EDP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo espanhol autoriza compra da Viesgo pela EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião