Santander diz que requisitos prudenciais estão inalterados face a 2020

  • Lusa
  • 11 Dezembro 2020

Os requisitos mínimos prudenciais de capital para o próximo ano, exigidos pelo Banco Central Europeu (BCE), são iguais aos de 2020.

O banco Santander indicou, esta sexta-feira, que os requisitos mínimos prudenciais de capital para o próximo ano, exigidos pelo Banco Central Europeu (BCE), não sofreram quaisquer alterações face ao definido para 2020.

“Todos os requisitos se mantêm inalterados face aos estabelecidos para o ano de 2020”, lê-se no comunicado remetido à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A decisão do BCE sobre os requisitos a serem cumpridos a partir de janeiro é baseada no processo de análise e avaliação pelo supervisor.

Segundo o mesmo documento, os buffers (almofadas de capital) incluem a reserva de conservação de capital (2,5%) e a reserva O-SII, para outras instituições de importância sistémica, de 0,375% em phased-in e 0,5% em fully loaded.

Já o requisito de pilar 2 é de 1,5%.

“A Santander Totta, SGPS, S.A., cumpria plenamente, considerando os rácios de capital registados em 30 de setembro de 2020, os requisitos definidos, em termos de CET1 (Common Equity Tier 1), de Tier 1 e rácio total”, assegurou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Santander diz que requisitos prudenciais estão inalterados face a 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião