Se as vacinas chegassem hoje, “à tarde teríamos condições para as administrar em qualquer centro de saúde”, diz Francisco Ramos

O coordenador do plano de vacinação contra a Covid-19 garante que "não será por falta de capacidade dos centros de saúde que vacinas vão deixar de ser dadas".

O coordenador do plano de vacinação contra a Covid-19 garante que se as vacinas chegassem esta manhã a Portugal, “à tarde teríamos condições para as administrar num qualquer centro de saúde em Portugal”. Francisco Ramos sublinhou assim que os centros já “estão preparados para vacinar”, numa audição no Parlamento.

“Temos prática de vacinação enorme, não será por falta de capacidade dos centros de saúde que vacinas vão deixar de ser dadas“, garantiu o coordenador. Quanto aos pontos de vacinação, serão então os centros de saúde, sendo que haverá também unidades móveis, que estão ainda a ser definidas, explicou.

Francisco Ramos apontou que a capacidade de rotina dos centros de saúde e equipas de saúde, atualmente, é de administrar cerca de 50 mil inoculações diariamente, “sem prejudicar outras atividades”. Serão estas unidades as principais agentes deste processo, onde serão mobilizados cerca de 20% dos enfermeiros para esta tarefa.

O coordenador do plano de vacinação garante que “haverá vacinas para todos os portugueses que se queiram vacinar”. Francisco Ramos sinalizou ainda que ninguém será obrigado a fazê-lo, sendo que é de caráter voluntário, defendendo mesmo que seria “um enorme erro” avançar para a obrigatoriedade.

“Quem recusar receber a vacina deve ser respeitado. Os relatórios dizem que menos de 10% da população recusa tomar a vacina e esses números são animadores”, apontou. Foram definidas prioridades de ordem de vacinação, mas todos têm direito, reforçou Francisco Ramos.

Quanto à chegada da vacina, admite que se verificou uma “redução de cerca de 20% das vacinas” que estavam previstas chegar da Pfizer no primeiro trimestre de 2021 devido a “um incumprimento da empresa nessa matéria” a nível europeu. Ainda assim, reitera que existe disponibilidade para “começar a vacinar assim que as vacinas chegarem”.

Peritos esperam ter 70% da população imunizada no final da Primavera

O coordenador da Task Force responsável por este tema aponta ainda que os peritos referem que será possível ter 60% a 70% da população imunizada contra a Covid-19, através da vacinação. O grupo que está a coordenar esta vacinação prevê que tal poderá acontecer no final da primavera ou principio do verão.

Francisco Ramos sublinha, no entanto, que “não é por se iniciar vacinação que vamos ter condições de minorar restrições com que nos habituámos a viver para evitar a propagação da doença”. O responsável alerta que os comportamentos adotados terão de ser mantidos até que seja atingida a imunidade de grupo.

(Notícia atualizada pela última vez às 13h55)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Se as vacinas chegassem hoje, “à tarde teríamos condições para as administrar em qualquer centro de saúde”, diz Francisco Ramos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião