Sindicato denuncia despedimento coletivo na Ryanair envolvendo seis tripulantes

  • ECO
  • 19 Dezembro 2020

Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil diz que a Ryanair resolveu iniciar "um novo processo de despedimento coletivo, agora na Base de Lisboa, envolvendo seis tripulantes".

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) denunciou este sábado que a Ryanair resolveu iniciar “um novo processo de despedimento coletivo, agora na Base de Lisboa, envolvendo seis tripulantes” da companhia aérea de baixo custo.

“Curiosamente”, prossegue o SNPVAC, são os mesmos seis tripulantes que “recusaram assinar, apesar da pressão da Ryanair, uma adenda, como o sindicato alertou na altura, ilegal”.

Para o sindicato, “este processo não passa de uma represália aos tripulantes envolvidos, e refuta completamente o argumento que haja um excesso de tripulantes nas bases em Portugal, e relembra, mais uma vez, que a companhia, poderia optar por medidas previstas na lei, tal como o fez em abril e maio, e que atenuariam os seus custos, sem ter que recorrer ao despedimento”.

O SNPVAC lembra que no dia 1 de dezembro a Ryanair retomou “o processo do despedimento coletivo dos tripulantes de cabine na Base do Porto, que atinge 23 tripulantes”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sindicato denuncia despedimento coletivo na Ryanair envolvendo seis tripulantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião