Seguradoras no Reino Unido poupam 4,8 mil milhões no ramo auto

  • ECO Seguros
  • 29 Dezembro 2020

A queda de tráfego devido à Covid permitiu às seguradoras britânicas do ramo auto pouparem 4,4 mil milhões libras em indemnizações de acidentes, soma igual à produção do top5 português até setembro.

O Reino Unido registou uma alteração dramática nos índices de utilização do automóvel em 2020, devido ao impacto da pandemia, com reflexo nos seguros do ramo automóvel que acumularam declínio estimado de 49,8% no número de reclamações.

A redução do tráfego teve como consequência um decréscimo de 41,2% no número de acidentes, face a 2018, enquanto as reparações de oficina pagas pelas seguradoras desceram em 53,7%, face a 2018. O número de mortos resultantes dos acidentes recuou em 25,5%.

Estes indicadores foram divulgados pela Hello-safe.co.uk e resultam de dois períodos de confinamento que implicaram restrições de circulação para conter duas vagas de infeções pela Covid-19. Essas medidas permitiram que as seguradoras pudessem poupar cerca de 4,4 mil milhões de libras esterlinas (cerca de 4,8 mil milhões de euros), um montante que supera largamente toda a produção não-Vida do mercado português de janeiro a setembro de 2020 ou, comparativamente, equivale à soma de prémios emitidos nos primeiros nove meses de 2020 pelos cinco maiores grupos a operar em Portugal.

Os números baseiam-se em dados que abrangem cerca de 500 mil titulares de seguros automóveis de todas as regiões do Reino Unido e a estimativa de poupança beneficiando as companhias é atribuída pela plataforma comparadora de ofertas de seguros (a Safe compara seguros automóveis, de viagem, habitação e seguros para animais de companhia).

Considerando os 77 dias de duração do primeiro confinamento decretado entre 23 de março e 31 de maio, as participações de sinistros diminuíram 70%, indicavam os resultados de análise anterior divulgada no início de julho. Em circunstâncias normais, as seguradoras teriam gasto 1,8 mil milhões de libras nesse período, mas em 2020, o gasto estimado caiu para 569 milhões de libras esterlinas.

“Após o alívio do primeiro período de confinamento, pensámos que a vida voltaria ao normal”, disse Antoine Fruchard, especialista em seguros e CEO da Hello-safe. “Contudo, com a segunda vaga da pandemia que está a abalar o Reino Unido, o tráfego rodoviário voltou a diminuir, e mais uma vez as companhias de seguros poupam dinheiro em indemnizações”. Com a situação económica a deteriorar-se rapidamente, os britânicos poderão questionar o valor que pagarão pelos prémios de 2021, admitiu Fruchard, citado no comunicado da empresa.

A região urbana de Londres (Greater London) concentra a maior poupança, com uma queda de 58,9% no número de participações de sinistros relacionados com automóveis, resultando em 696,28 milhões de libras de poupança estimada pela HelloSafe.

Além de Londres, Birmingham e Liverpool compõem as três primeiras de 20 áreas urbanas com as maiores poupanças, respetivamente, com quebras de 57,4% e 55,6% em participações de sinistros, poupando às seguradoras 89,1 milhões e 43,3 milhões de libras. A completar as cinco primeiras posições, Manchester e Bristol apresentaram decréscimos de 56% e 54%, poupando 41,86 milhões e 41,71 milhões de libras em indemnizações resultantes de sinistros.

Muitos automobilistas titulares de apólices estarão a contar que as suas seguradoras ofereçam algum desconto em 2021, para compensar um ano em que praticamente não saíram no seu carro, antecipa a plataforma de comparações.

As cinco regiões com montantes de poupança mais elevados alinham (depois de Londres) o sudeste de Inglaterra com 644,3 milhões de libras, o noroeste com 444,9 milhões, o leste com 4374 milhões, as West Midlands (427,5 milhões) e o sudoeste de Inglaterra com 368,3 milhões.

Automobilistas beneficiam de descida nos prémios do seguro

Nos últimos seis meses, os automobilistas que adquirem seguros no mercado britânico beneficiaram de um declínio no valor dos prémios das apólices automóveis, igualmente um reflexo do menor volume nas reclamações por sinistros no Reino Unido.

Os prémios ficaram 2,5% mais baratos, com o valor médio a situar-se em 816 libras esterlinas (cerca de 907 euros) um declínio verificado num período em que o tráfego caiu em torno de 20%, segundo dados oficiais. O Royal Automobile Club (RAC) assinala que “2020 está a ter impacto profundo nos nossos hábitos de viagem.”

Com as estradas praticamente vazias não surpreende que o número de participações de sinistro automóvel tenha caído de forma acentuada, assinala a imprensa londrina. No entanto, considerando um período mais alargado (últimos 12 meses), o valor médio dos prémios diminuiu apenas 1,1%, com a variação a beneficiar a generalidade dos grupos etários.

Comparativamente, enquanto os seguros para menores de 25 anos de idade continuam a custar mais de 1900 libras, uma apólice para um automobilista com mais de 50 anos pode custar 370 libras e o grupo entre os 25 e os 49 anos desembolsa 628 libras esterlinas por uma apólice anual.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Seguradoras no Reino Unido poupam 4,8 mil milhões no ramo auto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião