Alemanha obriga grandes empresas a terem mais mulheres na administração

  • Pessoas
  • 6 Janeiro 2021

Foi aprovada esta quarta-feira a lei das quotas na Alemanha, que exige que as grandes empresas cotadas tenham pelo menos uma mulher no respetivo conselho de administração.

O Governo da Alemanha aprovou legislação para obrigar as grandes empresas cotadas a terem pelo menos uma mulher nos respetivos conselhos de administração. A notícia foi avançada pela Reuters.

A partir do momento em que a empresa tenha mais de três membros no conselho de administração, um deles terá de ser uma mulher. No caso de empresas com conselhos de administração maiores, estas passam a ser obrigadas a ter pelo menos uma mulher na composição.

Estas medidas tinham sido propostas pelo partido Social Democrata (SPD) e foram debatidas durante vários anos, merecendo oposição do partido da chanceler Angela Merkel (União Democrata-Cristã, CDU). Contudo, os partidos alemães chegaram a um acordo em novembro do ano passado.

Esta lei é um marco para as mulheres em cargos de liderança”, sublinhou Franziska Giffey, ministra federal dos Assuntos da Família, que já tinha demonstrado o descontentamento pela lentidão do progresso nesta legislação.

Há também novas regras para o setor público. De acordo com a Reuters, a lei prevê ainda que 30% dos membros dos conselhos de administração nas empresas detidas pelo Estado tenham de ser mulheres.

A aprovação de quotas pode ajudar a Alemanha a subir nas classificações de diversidade em cargos de gestão nas empresas. Segundo um estudo da Boston Consulting Group, citado pelo Jornal de Negócios, a nova lei poderá elevar a participação de mulheres executivas para cerca de 15%, elevando a classificação da Alemanha do 24.º lugar para perto do 17.º entre os países da União Europeia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Alemanha obriga grandes empresas a terem mais mulheres na administração

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião