Carlos Gomes da Silva deixa liderança da Galp Energia. É substituído por Andy Brown

Mandato de Gomes da Silva terminava apenas no fim de 2022 e não são conhecidas as razões para a saída pedida pelo próprio. Sucessor tem mais de 35 anos de experiência na energia, incluindo na Shell.

Carlos Gomes da Silva vai deixar liderança da Galp Energia, após seis anos à frente da maior petrolífera portuguesa, segundo anunciou a empresa. A razão para abandonar funções antes do fim do mandato (acabava apenas em dezembro de 2022) não foi divulgada, sendo apenas claro que a saída foi pedida pelo próprio. O gestor irá manter-se em funções apenas até 19 de fevereiro para garantir o “processo de passagem de testemunho” para o próximo CEO da Galp Energia, Andy Brown.

Carlos Gomes da Silva apresentou hoje [terça-feira] a sua renúncia aos cargos de vice-presidente do Conselho de Administração e presidente da Comissão Executiva da Galp e aos demais cargo de administração exercidos pelo mesmo em sociedades ou entidades participadas pela Galp”, anunciou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Carlos Gomes da Silva era CEO da Galp desde 2015 e integrava a comissão executiva desde 2007, tendo também desempenhado funções de administrador executivo em áreas como distribuição, trading, comercialização e marketing de produtos petrolíferos, bem como gás natural e eletricidade. No ECO Insider — a newsletter semanal exclusiva para assinantes — de 16 de outubro, eram noticiadas as divergências entre Carlos Gomes da Silva e Paula Amorim, que poderiam resultar na saída antecipada do gestor. “Já não são um segredo as divergências entre Carlos Gomes da Silva, presidente executivo, e Paula Amorim, a chairwomen da petrolífera e maior acionista em nome do grupo Amorim. O atual mandato termina em dezembro de 2022, mas há quem antecipa mudanças já na próxima assembleia geral, entre março e abril de 2021. As próximas semanas vão ser reveladoras do que vier a suceder na equipa de gestão“. Posteriormente, já em dezembro, o ECO questionou a Galp Energia sobre a saída de Carlos Gomes da Silva, mas a empresa não quis comentar.

“O Conselho de Administração da Galp agradece ao Senhor Eng. Carlos Gomes da Silva os importantes serviços prestados à Galp ap longo de cerca de 14 anos no exercício de funções de gestão executiva, fazendo votos de continuados sucessos profissionais”, refere ainda o comunicado.

Sobre o novo CEO, explica que será cooptado a 19 de fevereiro e, após a cooptação, a ratificação será submetida aos acionistas na próxima assembleia geral. “Andy Brown é um gestor de topo com mais de 35 anos de experiência no setor da energia, reconhecido pelo seu perfil de liderança dinâmico, foco na performance, segurança, bem-estar e desenvolvimento de pessoas”.

Brown ocupou várias funções de gestões na Royal Dutch Shell, tendo sido membro da Comissão Executiva desde 2012, com funções de diretor de internacional upstream e, desde 2016, como diretor de upstream. Após o seu percurso na Shell, de onde saiu em 2019, Andy assumiu funções de vice-presidente na SBM, consultor sénior na McKinsey and Co., Consultor na JMJ e Consultor na ZeroAvia, uma empresa start-up / células de combustível para aviação.

(Notícia atualizada às 18h20)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Carlos Gomes da Silva deixa liderança da Galp Energia. É substituído por Andy Brown

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião