Votar antecipadamente, usar máscara e levar a própria caneta. Como se vota em pandemia?

  • ECO
  • 14 Janeiro 2021

Se estiver em confinamento obrigatório tem de se inscrever para votar entre 14 e 17 de janeiro. No dia das eleições, 24, tem de usar máscara e levar a própria a caneta.

No domingo, 24 de janeiro, o país vai a votos no meio de uma pandemia para decidir qual o próximo Presidente da República. Há novas regras e nunca o voto antecipado foi tão importante.

Logo a partida as secções de voto foram reforçadas para as eleições presidenciais de 2021. No total há 12.287 secções de voto e 61.435 membros de mesa, mais 2.087 secções de voto e mais 10.435 elementos do que em eleições anteriores. Adicionalmente, foram distribuídos por todos os municípios materiais de proteção (máscaras, luvas, viseiras e gel desinfetante).

A medida do voto antecipado em mobilidade – que foi pela primeira vez usado nas eleições para o Parlamento Europeu em 2019 – continua em vigor e foi também criado um regime excecional de voto antecipado para aqueles que estão em isolamento por causa da Covid-19.

Quero votar em mobilidade, como faço?

Para votar em mobilidade é necessário inscrever-se em www.votoantecipado.mai.gov.pt até esta quinta-feira, 14 de janeiro. A votação decorre a 17 de janeiro no local de voto escolhido. Caso um cidadão esteja inscrito no voto antecipado e não o exerça, poderá votar no dia 24.

E se estiver em isolamento profilático?

O pedido de inscrição também é feito no mesmo site, mas entre 14 e 17 de janeiro. No entanto, para ser elegível, a medida de confinamento obrigatório deve ter sido decretada pelas autoridades de saúde até ao dia 14 de janeiro.

Depois, o voto será recolhido entre 19 e 20 de janeiro na morada indicada por equipas constituídas por representantes dos presidentes da Câmara de cada município. A morada da inscrição deve coincidir com o domicílio registado no sistema de registo dos doentes com Covid-19 gerido pela Direção-Geral de Saúde.

Como faço para votar dia 24 de janeiro?

É necessário dirigir-se ao local onde está recenseado. Se não souber, pode obter essa informação através do site www.recenseamento.mai.gov.pt, ou através de um SMS gratuito para 3838, com a mensagem «RE (espaço) número de CC/BI (espaço) data de nascimento no formato AAAAMMDD».

Para votar tem de usar máscara, manter o distanciamento físico, seguir os circuitos recomendados, desinfetar as mãos à entrada e à saída do estabelecimento e, preferencialmente, levar uma caneta de casa.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Votar antecipadamente, usar máscara e levar a própria caneta. Como se vota em pandemia?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião