“Fechar as escolas era liquidar o ano letivo”, diz Marcelo

  • ECO
  • 19 Janeiro 2021

O Presidente da República diz que é "importante que os que confinam percebam que é um problema de todos e façam um esforço adicional no próximo mês e meio a dois meses".

O Presidente da República vê com bons olhos as medidas de reforço do confinamento adotadas pelo Governo. “Houve um passo importante em relação aos fins de semana”, diz o também candidato presidencial, em entrevista ao Correio da Manhã (acesso livre). Sobre as escolas, considera que fechar teria um impacto “dramático”.

“É importante que os que confinam percebam que é um problema de todos e façam um esforço adicional no próximo mês e meio a dois meses”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, isto depois de concordar com o reforço das medidas apresentado pelo Executivo de Costa para tentar evitar a propagação da pandemia.

Nesse reforço de medidas, as escolas ficaram abertas. Marcelo Rebelo de Sousa aponta que, nas escolas, a “grande dúvida surgiu entre o último ciclo do básico e o secundário”. O raciocínio seguido foi o de avaliar “durante 15 dias”, já que “fechar as escolas era liquidar o arranque de ano civil em termos letivos”. “Atropelar este ano letivo era dramático”, aponta o Presidente.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Fechar as escolas era liquidar o ano letivo”, diz Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião