Nas notícias lá fora: China, Trump e Amazon

  • ECO
  • 21 Janeiro 2021

A China decidiu avançar com sanções a membros da administração de Trump, por violarem a sua soberania. Os negócios de Donald Trump, nomeadamente os hotéis, sofreram o impacto da pandemia.

Numa altura em que ainda se mantêm as tensões entre a China e os Estados Unidos, Pequim decidiu impor sanções a responsáveis da administração de Donald Trump, nomeadamente o antigo secretário de Estado Mike Pompeo. O antigo Presidente norte-americano revelou o impacto da pandemia nos seus negócios, sendo que as receitas dos hotéis caíram para mais de metade. Pela China, a decisão no sentido de apostar nas energias renováveis levou a que o país duplicasse a construção de centrais eólicas e solares, no ano passado. Veja estas e outras notícias que marcam a atualidade internacional.

Financial Times

China impõe sanções a vários responsáveis da administração Trump

A China impôs sanções a vários funcionários da administração do antigo Presidente, Donald Trump, incluindo o ex-secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, por “violar” a soberania do país asiático. No grupo de responsáveis sancionados encontra-se ainda Peter Navarro, antigo conselheiro comercial da Trump, Robert O’Brien, subsecretário para os Assuntos da Ásia Oriental e Pacífico, Alex Azar, secretário de Saúde e Serviços Humanos, entre outros.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Bloomberg

Pandemia corta receitas dos negócios de Trump a metade

O império de Donald Trump sofreu o impacto do confinamento e restrições da pandemia, com a receita dos hotéis em Washington e Las Vegas a cair para mais de metade. No último formulário de divulgação financeira como Presidente, Trump detalhou que a receita do hotel em Washington, que estava a tentar vender, caiu para 15,1 milhões de dólares, enquanto em Vegas, as vendas relacionadas com hotéis caíram de 23,3 milhões para 9,2 milhões de dólares. Outra propriedade importante de Trump, o Doral Golf Resort em Miami, também viu a receita cair para 44 milhões de dólares.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Reuters

China duplica capacidade de energia renovável em 2020

A China, maior emissor de gases de efeito de estufa do mundo, mais do que duplicou a construção de novas centrais eólicas e solares em 2020, em relação ao ano anterior. Estes números refletem a promessa de Pequim de reduzir a dependência de combustíveis fósseis. Ainda assim, a China continuou a construir centrais de energia térmica no ano passado.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

The Guardian

Preço médio das casas em Londres supera as 500 mil libras pela primeira vez

O preço médio de um imóvel em Londres ultrapassou pela primeira vez a barreira das 500 mil libras, chegando às 514 mil (cerca de 579 mil euros), um aumento de 9,7%, segundo dados das vendas de novembro. A interrupção temporária do imposto de selo, aplicado a casas que custam até 500 mil libras em Inglaterra, levou a um aumento nas vendas e fez subir os preços nas casas.

Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês)

TechCrunch

Amazon quer ajudar Joe Biden na campanha de vacinação

A Amazon propôs ao novo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a ajudar na campanha de vacinação e a “atingir a meta dos 100 milhões de vacinados nos primeiros cem dias de mandato”. Na carta enviada a Biden, a empresa detalha que tem “um acordo em vigor com um prestador de cuidados de saúde” e que estão preparados para avançar assim que as vacinas estejam disponíveis. “A nossa escala permite-nos ter um impacto significativo imediatamente na luta contra a Covid-19”, relembra a Amazon.

Leia a notícia completa em TechCrunch (acesso livre, conteúdo em inglês)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: China, Trump e Amazon

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião