Portugal não comprou todas as vacinas que podia

  • ECO
  • 21 Janeiro 2021

Governo adquiriu menos 800 mil doses, mas diz que as que tem são suficientes para imunizar a população portuguesa.

Portugal deixou por encomendar 800 mil doses de vacinas contra a Covid-19 da Moderna. Assim, estas doses ficam disponíveis para serem adquiridas por outros Estados-membros da União Europeia.

O país tinha o direito a adquirir quase 3,7 milhões de doses da Moderna, mas acabou por requisitar apenas 2,8 milhões (menos 800 mil doses). No entanto, o Governo garante que as doses adquiridas são mais do que suficientes para imunizar a população.

Em Portugal os profissionais de saúde foram os primeiros a ser vacinados, ainda no final do ano passado e, entretanto, já começaram a receber as segundas doses da vacina da Pfizer. Já a vacinação dos profissionais de saúde do setor privado arrancou a 14 de janeiro, um dia depois da chegada das primeiras doses da Moderna (8.400). O Governo está também comprometido em terminar a vacinação nos lares no final da próxima semana.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal não comprou todas as vacinas que podia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião