Portal único do cidadão arranca parcialmente em 2022

  • ECO
  • 20 Fevereiro 2021

O portal que vai centralizar 25 dos serviços públicos mais utilizados pelos cidadãos começa a funcionar parcialmente já no próximo ano. Governo planeia funcionamento em pleno em 2023.

O portal único do cidadão, que centralizará diversos serviços públicos num único ponto de contacto, começa a funcionar de forma parcial já em 2022. Mas a intenção do Governo é que esteja totalmente operacional em 2023, revelou a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão.

Numa entrevista ao Público (acesso condicionado), na qual aborda a forma como serão aplicados os 600 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência na modernização e digitalização da Administração Pública, Alexandra Leitão acrescenta que “há várias metas parcelares” pois “o dinheiro vem em tranches e é preciso ir cumprindo metas”.

No total, o portal deverá ter 25 serviços públicos dos “mais utilizados”, para “que seja possível que um serviço prestado ao cidadão e que implique obter documentos, tratar de assuntos em várias áreas governativas diferentes, possa ser feito com um único ponto de contacto”. “Só tenho de autorizar que acedam aos meus dados”, explica a ministra.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portal único do cidadão arranca parcialmente em 2022

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião