Nas notícias lá fora: Línea Directa, Facebook e HSBC

  • ECO
  • 23 Fevereiro 2021

Facebook vai restaurar as notícias australianas na sua plataforma, após um acordo estabelecido com o Governo local. Já a Telefónica encaixa 493 milhões de euros com venda de filial no Chile.

Esta segunda-feira fica marcada pela entrevista da CEO do Bankinter ao Cinco Días, onde revela esperar que o Línea Directa entre em bolsa já em abril. No Reino Unido, o principal banco do país, o HSBC, registou quebras nos lucros na ordem dos 34% em 2020, numa altura em que a taxa de desemprego aumentou 5,1%, nos últimos três meses do mesmo ano.

Cinco Días

“Bankinter e Línea Directa têm mais valor separados que juntos”, diz María Dolores Dancausa

A atual presidente executiva do Bankinter espera que o Línea Directa entre em bolsa antes da próxima reunião do Bankinter, que está marcada para 21 de abril. Em entrevista disse estar “muito confinante” de que o Banco Central Europeu (BCE) dê a “autorização correspondente”, destacando que se trata de uma “operação muito positiva para todas as partes” envolvidas. Destacando que o Línea Directa é já uma instituição “suficientemente madura para se tornar pública”, acrescentou estar convencida de que “o valor do Bankinter e da Línea Directa separadamente será superior”.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Finantial Times

Facebook estabelece acordo com Governo australiano para voltar a ter notícias na sua plataforma

O Facebook concordou em restaurar as notícias australianas na sua plataforma “nos próximos dias”, após um acordo estabelecido com o Governo local que colocou em cima da mesa alterações à proposta de lei que obrigaria a empresa a pagar para poder divulgar conteúdos noticiosos. O Facebook reagiu a este acordo, dizendo estar satisfeito pela existência de uma “série de alterações e garantias” agora acordadas com o Governo responderem às suas preocupações.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês)

Expansión

Telefónica encaixa 493 milhões de euros com venda de filial no Chile

A Telefónica anunciou a venda de 60% do capital da sua filial de infraestruturas de fibra ótica no Chile, InfraCo, por 600 milhões de dólares (493 milhões de euros) ao fundo de capital risco KKR. A operação resultará numa redução da dívida financeira líquida da operadora espanhola em cerca de 400 milhões de euros. A venda deverá estar concluída no primeiro semestre de 2021. Depois de se ter concentrado em quatro mercados principais – Espanha, Brasil, Alemanha e Reino Unido – a Telefónica tem vindo a alienar ativos na unidade de negócio na América Latina, estando a concluir a venda da sua filial na Costa Rica à Liberty Latin America, por 425 milhões de euros.

Leia a notícia completa no Expansión (acesso pago, conteúdo em espanhol)

The Guardian

HSBC com queda de 34% nos lucros

O maior banco britânico registou em 2020 uma quebra de 34% nos lucros. Esta terça-feira, o HSBC revelou que o seu lucro antes de impostos desceu de 13,3 mil milhões de dólares em 2019 para os 8,8 mil milhões de dólares, durante os 12 meses do ano passado. Isto numa altura em que o banco se prepara para duplicar as suas operações em Hong Kong e na China, ainda que tenha preocupações acerca da repressão política na antiga colónia britânica.

Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês)

Reuters

Taxa de desemprego no Reino Unido fixa-se nos 5,1%

A taxa de desemprego na no Reino Unido subiu para 5,1% nos últimos três meses de 2020, sendo a mais alta em quase cinco anos, mas ainda assim permanecendo mais baixa do que poderia ter sido sem o esquema de apoio ao emprego que foi desenvolvido durante a pandemia e que o ministro das Finanças parece estar decidido em prolongar na próxima semana. Dados do Gabinete de Estatística Nacional mostram, por outro lado, que o número de empregados na folha de pagamentos das empresas aumentou em 83 mil em janeiro, comparando com o mês anterior.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Línea Directa, Facebook e HSBC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião