EBA diz que 22% do crédito em moratória não é “disparatado”

  • ECO
  • 16 Março 2021

Com o fim das moratórias à vista, o diretor da Autoridade Bancária Europeia Piers Haben diz que banca deve monitorizar os clientes e verificar quais não estão em condições de retomar os créditos.

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) não antecipa um prolongamento da moratória e considera que o nível de 22% de crédito em suspensão em Portugal é semelhante a outros países. “Não é totalmente disparatado em comparação com outros países”, diz Piers Haben, diretor do supervisor bancário europeu para a banca, inovação e consumidores em entrevista ao Jornal de Negócios (acesso pago).

Piers Haben salienta a importância de os bancos monitorizarem já os seus clientes no sentido de detetarem quais são aqueles que têm e não têm capacidade de retomar o pagamento dos créditos após o fim das moratórias.

O problema vai ser garantir que percebemos que clientes têm dificuldades. As moratórias foram desenhadas para ajudar as pessoas e não podemos dizer que as moratórias são um problema. O que é importante é que temos uma monitorização eficaz e uma relação eficaz [entre clientes e bancos]. Os testes de stress vão ajudar a perceber [onde estão os problemas]”, explicou o responsável.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EBA diz que 22% do crédito em moratória não é “disparatado”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião