BCP ganha mais de 1%, mas energia pesa em Lisboa

A bolsa de Lisboa terminou a sessão a acumular perdas pelo segundo dia consecutivo, em linha com as praças europeias. Nem os ganhos de mais de 1% do BCP travaram as quedas.

A bolsa de Lisboa terminou a primeira sessão da semana em terreno negativo, seguindo a tendência da maioria das praças do Velho Continente. A pressionar o índice de referência nacional estiveram as cotadas ligadas ao setor energético e nem os ganhos de mais de 1% do BCP fizeram escapar às quedas.

Na Europa, o Stoxx 600 desvalorizou 0,4%, enquanto o britânico FTSE 100 caiu 0,3% e o espanhol Ibex-35 cedeu 0,6%. Ao mesmo, o alemão DAX e o francês CAC-40 mantiveram-se inalterados, numa altura em que os investidores se preparam para o arranque das apresentações de resultados do primeiro trimestre e estão preocupados com o aumento de casos de Covid-19 na Europa.

Lisboa acompanhou as perdas da Europa, com o PSI-20 a fechar abaixo da “linha de água” ao recuar 0,21% para os 5.006,680 pontos, numa sessão em que 12 das 18 cotadas fecharam em terreno negativo e seis no “verde”. A pressionar o PSI-20 estiveram as cotadas ligadas ao setor energético.

A Galp Energia cedeu 0,64% para 9,658 euros, no dia em que anunciou que registou uma redução de 5% na exploração de petróleo por causa da pandemia. Ao mesmo tempo, a petrolífera portuguesa contraria a subida das cotações de petróleo nos mercados internacionais. O Brent, de referência europeia, valoriza 0,64% para os 63,35 dólares, ao passo que o WTI está a subir 0,67% para os 59.75 dólares, em Nova Iorque.

Ainda no que concerne às cotadas ligadas à energia, a EDP perdeu 0,35% para os 5,16 euros, enquanto a EDP Renováveis valorizou 0,26% para os 18,95 euros por ação, Ao mesmo tempo, a REN somou 0,20% para os 2,45 euros.

Também o setor da pasta e do papel, muito influenciado pelo contexto internacional, penalizou a bolsa de Lisboa. A Navigator cedeu 1,34% para os 2,8080 euros, a Altri desvalorizou 0,94% para os 6,3250 euros, enquanto a Semapa caiu 0,81% para os 12,20 euros. Nota negativa ainda para os CTT, cujos títulos recuaram 1,69% para 3,4950 euros.

Nesse contexto, nem os ganhos do BCP fizeram a bolsa de Lisboa escapar às perdas. Os títulos do banco liderado por Miguel Maya ganharam 1,18% para 12,03 cêntimos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP ganha mais de 1%, mas energia pesa em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião