Lisboetas já fizeram mais de 11.200 testes à Covid-19 pagos pela Câmara

Entre 31 de março e 26 de abril, foram realizados 11.262 testes à Covid ao abrigo do programa de testagem em massa gratuito da Câmara Municipal de Lisboa, revelou fonte oficial da autarquia ao ECO.

No espaço de quase um mês, já foram realizados mais de 11.200 testes de despiste à Covid-19 ao abrigo da campanha de testagem gratuita promovida pela Câmara Municipal de Lisboa (CML). Na passada sexta-feira, 23 de abril, foi o dia com maior adesão, com 1.022 testes feitos, revelou ao ECO fonte oficial da autarquia liderada por Fernando Medina.

Em causa está um plano de testagem destinado aos moradores do concelho de Lisboa, que permite que cada munícipe realize gratuitamente dois testes rápidos de antigénio por mês nas farmácias que aderiram à iniciativa. Entre 31 de março e 26 de abril, foram realizados 11.262 testes à Covid-19 ao abrigo deste programa, disse fonte oficial da CML.

Lançado no final de abril, numa primeira fase, este programa era apenas dirigido aos moradores das freguesias consideradas de maior risco, por terem uma incidência superior a 120 casos de infeção por 100 mil habitantes. Contudo, a 14 de abril, o programa foi alargado a todos os moradores da cidade.

Se nos primeiros setes dias a adesão ainda era pouco expressiva, com 1.071 testes realizados nessa semana (o que representa uma média de 153 testes realizados por dia), o alargamento a todos os munícipes deu fôlego à iniciativa. Nos sete dias anteriores a 26 de abril, a média de testes realizados foi de 726, ou seja, mais do quadruplo dos número de testes realizados por dia na primeira semana. Foi, aliás, nessa semana que foi alcançado o número recorde de testes diários realizados, com 1.022 testes à Covid-19.

Ao ECO, a autarquia destaca também que, “quando o programa começou, existiam apenas 60 farmácias aderentes, dado a necessidade de autorização das autoridades de saúde”. Atualmente, há já “mais de 100 [farmácias] ligadas ao SINAVE e com capacidade de efetuar os testes”, justificando, deste modo, o alargamento da iniciativa a todos os moradores da cidade. “Foi uma questão de escala e de cobertura geográfica, concentrando inicialmente nas zonas com maior incidência e alargando, assim que possível, a toda a cidade, como veio acontecer”, ressalva a referida fonte.

Apesar de o foco deste programa estar direcionado aos lisboetas, o programa abrange também os comerciantes das feiras e mercados da capital. Nesse sentido, a CML assinala que “foram também efetuados 792 testes aos comerciantes e feirantes dos mercados de Lisboa”. Paralelamente, a autarquia liderada por Fernando Medina está também a realizar testes de despiste à Covid-19 aos seus funcionários, sendo que, dos 4.692 testes efetuados em abril, foram detetados dois casos positivos.

Para aderirem a esta iniciativa, os munícipes têm de agendar a testagem diretamente ou por telefone numa das farmácias abrangidas pelo programa, cuja lista pode ser consultada no site da CML. Depois de o teste ser realizado, caberá às respetivas farmácias comunicarem o resultado através da plataforma SINAVE. Importa ainda sublinhar que, nos caso de um munícipe testar positivo, o utente é depois contactado por profissionais do Serviço Nacional de Saúde.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboetas já fizeram mais de 11.200 testes à Covid-19 pagos pela Câmara

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião