Inapa agrava prejuízo para 15,5 milhões em 2020

  • Lusa
  • 30 Abril 2021

Resultados negativos devem-se à quebra significativa de consumo de papel na Europa e a custos não recorrentes de 11,6 milhões de euros relacionados com os processos de restruturação do grupo.

A Inapa registou um prejuízo de 15,5 milhões de euros em 2020, quando em 2019 era de 4,1 milhões de euros, devido sobretudo a custos não recorrentes relacionados com processos de restruturação.

Em comunicado, o CEO do grupo, Diogo Rezende, refere que o prejuízo do ano passado foi decorrente “da quebra significativa de consumo de papel na Europa e do reconhecimento de 11,6 milhões de euros de custos não recorrentes relacionados com os processos de restruturação do Grupo”.

As poupanças já identificadas nestes processos, adianta, “ficam acima das inicialmente estimadas e apresentadas aos acionistas”.

A Inapa faturou 1.015,5 milhões de euros em 2020, menos 1,5% do que em 2019.

“A evolução da atividade (em 2020) foi fortemente marcada, por um lado, pelo efeito do surto pandémico covid-19 e medidas de confinamento adotadas na Europa Ocidental e, por outro lado, pelo impacto positivo da aquisição da Papyrus Deutschland, cuja integração teve efeitos a partir de 01 de agosto de 2019”, refere o grupo.

A empresa salienta ter registado um “ganho expressivo de quota de mercado no setor da distribuição de papel”, com as vendas de papel a totalizaram 913 mil toneladas, um crescimento de 3% face a 2019.

A pandemia causada pela covid-19 levou a uma retração de 20% no consumo de papel de escrita e gráfico na Europa Ocidental em 2020, face ao ano de 2019, refere a empresa, citando dados da Eurograph.

“Depois de um segundo trimestre em que a queda foi de 38%, observou-se um progressivo aumento da atividade, limitado no entanto pelo surgimento duma 2.ª vaga no fim do ano que não permitiu uma recuperação do consumo tão forte quanto inicialmente previsto”, afirmou o CEO do grupo, Diogo Rezende.

O negócio da embalagem registou um crescimento de 1,6% quando comparado com o ano anterior, e a área da comunicação visual, mais penalizada pelo surto de covid-19, devido ao adiamento generalizado de eventos e feiras, registou uma queda de 12,4%.

A margem bruta em percentagem das vendas aumentou um ponto percentual em 2020 para 18,3% (17,3% no período homólogo de 2019).

Os custos de exploração líquidos, excluindo imparidades de ativos correntes, registaram em 2020 um aumento de oito milhões de euros (+5,4%), representando 15,4% das vendas, o que “resultou essencialmente da integração da Papyrus Deutschland”, adianta e empresa.

Em 2020, o EBITDA totalizou 15,8 milhões de euros, equivalente a 1,6% das vendas.

Os resultados operacionais (EBIT) do grupo foram de 2,7 milhões de euros negativos.

A dívida líquida consolidada a 31 de dezembro de 2020 situou-se em 315 milhões de euros, menos 22 milhões de euros do que em 2019.

Fundado em 1965, o grupo Inapa atua no mercado Europeu de distribuição de papel e detém posições de relevo na distribuição de embalagem e comunicação visual.

Com uma equipa de 1.709 colaboradores, o grupo opera em 10 países – Alemanha, França, Espanha, Portugal, Bélgica, Luxemburgo, Áustria, Holanda, Turquia e Angola.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Inapa agrava prejuízo para 15,5 milhões em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião