E se investir em vinho em vez de ações?

Vinhos portugueses entram na rota do investimento em vinhos finos. Em entrevista, o embaixador da OENO explica como se pode investir e a rentabilidade do negócio.

Com sede em Londres e escritórios em França, Itália, Estados Unidos, Espanha e Alemanha, Portugal é o mais recente destino da OENO. A empresa britânica de investimento em vinhos de elevado valor acrescentado, comparáveis a ações em bolsa joias ou carros de luxo, tem como objetivo principal “acrescentar vinhos portugueses de grande qualidade à carteira de vinhos finos”, posicionando Portugal na rota dos investimentos.

A OENO entra no mercado nacional pelas mãos de Cláudio Martins, da consultora de vinhos Martins Wine Advisor, embaixador da empresa em Portugal e Brasil. A meta é fechar 2021 com cinco milhões de investimento em Portugal, como conta em entrevista.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

E se investir em vinho em vez de ações?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião