Subsidiária irlandesa da Microsoft lucrou 315 mil milhões, mas pagou zero de IRC em 2020

  • ECO
  • 3 Junho 2021

Como tem a residência fiscal nas Bermudas, a subsidiária irlandesa da Microsoft conseguiu lucrar 315 mil milhões de dólares sem pagar nenhum cêntimo de impostos sobre esses lucros a algum Estado.

A subsidiária irlandesa da Microsoft lucrou 315 mil milhões de dólares em 2020, mas pagou zero em IRC, o imposto que se aplica aos lucros das empresas. A explicação está a residência fiscal da Microsoft Round Island One: as Bermudas, ilha britânica que não cobra IRC. A revelação é feita esta quinta-feira pelo The Guardian com base em documentos oficiais das autoridades irlandesas.

O lucro da subsidiária, cujas receitas têm origem nas taxas de licenciamento do uso do software da Microsoft em todo o mundo, equivaleu em 2020 a quase três quartos do PIB da Irlanda (437 mil milhões de dólares), apesar de não ter nenhum funcionário além dos gestores. Na sua declaração de imposto, a Microsoft diz que “como a empresa é residente fiscal das Bermudas, não há imposto a pagar sobre os lucros”. A Microsoft Round Island One pagou 24,5 mil milhões de dólares em dividendos à Microsoft Corporation durante o ano passado, mais 30,5 mil milhões de dólares em dividendos especiais.

O jornal britânico já tinha revelado recentemente que as seis grandes tecnológicas dos Estados Unidos — Microsoft, Amazon, Facebook, Alphabet (dona da Google), Netflix e Apple — pagaram menos 96 mil milhões de dólares em impostos nos últimos dez anos do que o valor que disseram que pagaram nos relatórios financeiros anuais. Além disso, o Guardian revelou que essas empresas pagaram 219 mil milhões de dólares em IRC na última década, o que corresponde a 3,6% das receitas totais de mais de seis biliões de dólares. O IRC é pago sobre os lucros, mas os investigadores que chegaram a esta conclusão notam que as empresas transferem deliberadamente os seus rendimentos para jurisdições com baixos impostos para pagar menos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Subsidiária irlandesa da Microsoft lucrou 315 mil milhões, mas pagou zero de IRC em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião