Falta de chips já travou produção de 500 mil carros

Custo dos chips representa, atualmente, cerca de 35% do custo total do veículo, mas o peso vai aumentar: pode passar a representar metade.

Há escassez de chips no mundo. E o setor automóvel está a ser fortemente penalizado por este cenário, estimando-se que a indisponibilidade de semicondutores já tenha travado a produção de cerca de meio milhão de veículos.

De acordo com a Clepa, a Associação Europeia de Fornecedores Automóveis, a incapacidade de obtenção de chips no mercado, por escassez destes, ditou o atraso na produção de 500 mil automóveis a nível mundial.

Várias fabricantes automóveis viram-se forçadas a parar mesmo a produção, algo que acontece também em Portugal, com a Autoeuropa, mas também com outras empresas como é o caso da Bosch de Braga.

Thorsten Muschal, presidente da Clepa, diz ao El País (acesso livre), que “o pior já terá passado e não é provável que a situação venha a deteriorar-se mais”, mas alerta que não se pode excluir que os efeitos da escassez de chips se continuem a sentir até 2022″.

Um automóvel moderno pode levar até 100 componentes eletrónicos e entre 20 a 40 semicondutores. O custo destes representa, atualmente, cerca de 35% do custo total do veículo, mas o peso vai aumentar: pode passar a representar metade.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Falta de chips já travou produção de 500 mil carros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião