Reuniões com investidores adiam estreia em bolsa da GreenVolt para 15 de julho

Decisão de prolongar o período de aceitação de ofertas de compra das suas ações visa "permitir a realização de reuniões entre investidores e a administração da Greenvolt durante o roadshow".

A GreenVolt adiou a estreia em bolsa. Perante o apetite dos investidores, e de forma a permitir reuniões entre estes e a administração da empresa, liderada por Manso Neto, a companhia de energias renováveis da Altri vai prolongar o prazo de receção de ordens em dois dias, o que obriga a que a entrada no mercado de capitais só aconteça dois dias depois do inicialmente previsto, ou seja, a 15 de julho.

“Após consultar o BNP Paribas e o CaixaBank, enquanto coordenadores globais conjuntos, decidiu prolongar o período de roadshow e de book-building aplicável à oferta descrita no prospeto até ao dia 12 de julho de 2021″, diz a empresa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Esta decisão de prolongar o período de aceitação de ofertas de compra das suas ações visa “permitir a realização de reuniões entre investidores e a administração da Greenvolt durante o mencionado roadshow“.

Assim, e uma vez que o prazo final de receção de ordens derrapa em dois dias, também o de entrada em bolsa passa a ser dois dias depois do previsto. A sessão especial de bolsa passa de 12 para 14 de julho, assistindo-se à estreia na bolsa de Lisboa da GreenVolt a 15 de julho.

Este é o novo calendário do caminho para a bolsa da GreenVolt:

A GreenVolt pretende entrar no mercado de capitais português através de um aumento de capital de até 150 milhões de euros em dinheiro, mas também de um outro em espécie, no valor de 56 milhões de euros que será subscrito pela V-Ridium, empresa detentora de projetos de energia eólica e solar.

No aumento de capital em dinheiro o intervalo de preços indicativo para o “IPO foi definido entre os 4,25 e os 5,00 euros por ação”, revelou recentemente a empresa liderada por Manso Neto. O preço final vai depender do apetite registado, sendo que os sinais são de grande interesse nos títulos, daí este prolongar dos encontros com investidores.

Uma vez concluído o IPO, a “Altri irá distribuir aos seus acionistas ações da GreenVolt até um máximo de 5% do capital e dos direitos de voto”. Por cada 55 títulos em carteira, os acionistas da Altri receberão uma ação da futura cotada, bem como um dividendo extraordinário no valor de 10 cêntimos por ação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Reuniões com investidores adiam estreia em bolsa da GreenVolt para 15 de julho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião