Brent sobe 1% após queda de 6,75% na segunda-feira

  • Carolina Bento e Lusa
  • 20 Julho 2021

A descida foi motivada pelo acordo da aliança da OPEP+ de aumentar gradualmente a produção de petróleo conjunta durante os próximos cinco meses.

O petróleo Brent para entrega em setembro subia, esta terça-feira, 1,08% na abertura para 69,36 dólares. No dia anterior, segunda-feira, o petróleo Brent caiu 6,75%, no mercado de futuros de Londres, fechando a sessão a cotar em 68,62 dólares (correspondente a 58 euros).

O Brent caiu na segunda-feira na sequência da decisão da aliança da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) com dez produtores de petróleo aliados liderados pela Rússia (OPEP+), no domingo, de aumentar gradualmente a produção de petróleo conjunta durante os próximos cinco meses, atingindo mais dois milhões de barris por dia em dezembro.

A Reuters (acesso livre, em inglês), já tinha avançado que este acordo da OPEP+ ajudará a aliviar os preços de matéria-prima e dos combustíveis já que, com as economias mundiais a desconfinar gradualmente em 2021, o preço do brent negociado no Mar do Norte aumentou mais de 45%.

Segundo a Bloomberg (acesso condicionado, em inglês), a aliança decidiu aumentar a produção em 400 mil barris por dia a partir do próximo mês de agosto, até ao ponto em que todo o stock que foi acumulado com a falta de produção esteja escoado.

A crise do coronavírus e a consequente crise económica levaram à diminuição significativa da procura. Para ajustar a oferta e a procura, OPEP+ a cortou a produção em quase dez milhões de barris por dia. Atualmente, este corte diminuiu para cerca de metade, mantendo-se nos 5,8 milhões de barris por dia. Desta forma, a aliança OPEP+ reduz para cerca de 3,8 milhões de barris por dia o corte acordado em abril de 2020.

De acordo com a mesma agência de notícias, os Emirados Árabes Unidos, o Iraque e o Kuwait terão quotas de produção maiores a partir de maio de 2022. Esta medida vem no seguimento das queixas dos Emirados Árabes Unidos de cálculo injusto da sua quota, que não refletia o investimento feito pelo país na expansão da indústria.

Até esta terça-feira, as cotações do petróleo nos mercados internacionais estavam, de um modo geral, a diminuir: o crude do Mar do Norte, por exemplo, cotava a 4,97 dólares abaixo de 73,59 dólares, preço com que tinha fechado as transações na sexta-feira anterior. Na segunda-feira, os preços do petróleo recuavam mais de 2%.

Contudo, o preço de um barril de West Texas Intermediate (WTI), que também fechou na segunda-feira com uma queda de 7,51%, subiu antes da abertura formal do mercado, 1,19%, para 67,17 dólares.

Da OPEP fazem parte a Argélia, Angola, Congo, Guiné Equatorial, Gabão, Irão, Iraque, Koweit, Líbia, Nigéria, Arábia Saudita, EAU e Venezuela. O grupo OPEP+ estende-se ao Azerbaijão, Barém, Brunei, Cazaquistão, Malásia, México, Omã, Federação Russa, Sudão e Sudão do Sul.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Brent sobe 1% após queda de 6,75% na segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião