Mercados locais de energia permitem poupar 7% na fatura da luz

Este cenário foi já estudado pela EDP num projeto-piloto em Évora para testar as vantagens da criação de mercados locais de energia. O projeto Dominoes durou quatro anos.

Imagine que famílias e empresas conseguem trocam eletricidade consoante as suas necessidades em períodos específicos do dia, obtendo assim poupanças que podem chegar a quase 7% da respetiva fatura média de energia, o equivalente a cerca de 5 euros por mês.

Este cenário foi já estudado pela EDP num projeto-piloto para testar as vantagens da criação de mercados locais de energia. O projeto Dominoes durou quatro anos e foi testado em dois países, sendo que um dos demonstradores reais esteve em Évora.

De acordo com a EDP, nas condições específicas do projeto, foi possível demonstrar dois tipos de potenciais vantagens para quem compra e vende nos mercados locais de energia. Para começar, com base numa amostra de consumidores foi possível concluir que conseguiram poupar quase 7% na fatura média de energia, ou seja, cinco euros por mês.

Através deste estudo, concluiu-se também que para quem vende nos mesmos mercados, a energia que produz a partir de painéis solares fotovoltaicos os ganhos mensais com a comercialização da energia em excesso podem chegar a 2,5 euros por mês.

Iniciado no final de 2017, este estudo – que contou com um financiamento europeu de quatro milhões de euros no âmbito do Horizonte 2020 e envolveu vários parceiros nacionais e internacionais – procurou explorar um novo conceito de mercado local de energia, através da flexibilidade, um segmento de mercado que permite balancear a disponibilidade elétrica pelos vários pontos de consumo.

O modelo foi testado em dois países, em três ambientes de demonstração, sendo dois deles em Portugal: um real, na zona de Valverde, município de Évora, no Alentejo, e outro virtualizado, através de uma solução de VPP – “Virtual Power Plant” –, que agregou vários pontos de consumo distribuídos pelo país. O terceiro ambiente de teste decorreu na Finlândia.

O projeto contribuiu ainda para o desenvolvimento de uma possível plataforma para a gestão destes mercados locais e de uma aplicação web para interface entre vendedores e consumidores.

O consórcio do projeto Dominoes envolve oito entidades de quatro países europeus: Enerim, o coordenador do projeto, a universidade finlandesa LUT (Lappeenranta-Lahti University of Technology), a Universidade de Leicester, do Reino Unido, e a Universidade de Sevilha, de Espanha.

Também, a partir de Portugal, as entidades que integram o consórcio do projeto são a EDP NEW, a E-REDES e a Virtual Power Solutions. O ISEP – Escola Superior de Engenharia do Politécnico do Porto, foi o parceiro académico português envolvido.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mercados locais de energia permitem poupar 7% na fatura da luz

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião