Mapfre lucra menos 42% em Portugal até junho. Provisiona 75 milhões para saídas voluntárias

  • ECO Seguros
  • 28 Julho 2021

O valor dos prémios emitidos em Espanha e Portugal cresceu 7% até junho. Excluindo negócio Vida, o lucro do grupo caiu 23% penalizado por provisão de 75 milhões para um programa de saídas voluntárias.

O resultado da Mapfre encolheu perto de 42% em Portugal no primeiro semestre, com o valor dos prémios a recuar 2,2% face ao semestre homólogo de 2020, indica informação divulgada após nota preliminar uma semana antes.

A quebra da seguradora na operação portuguesa confirma números da Supervisão. De acordo com estatística da ASF relativa à produção acumulada até maio, a Mapfre Gerais perdeu 0,2 pp de quota, face a maio de 2020, para 0,74% em Portugal, descendo dois lugares para ocupar a 24ª posição no ranking nacional de produção.

O grupo espanhol terminou o primeiro semestre (1ºS) a crescer 7% na operação ibérica (Espanha e Portugal), alcançando 4 252 milhões de euros em prémios, salientando-se o desempenho no negócio seguros de Vida (+12,9%). Em Espanha, os prémios cresceram 7% para 4 186 milhões de euros (contra um aumento de 5,5% no setor), “sendo o país que mais contribuiu para o lucro do Grupo com 204 milhões de euros, um valor muito relevante quando se compara com um semestre de grande abrandamento da atividade económica, devido essencialmente ao confinamento.”

O resultado atribuível à operação ibérica, situado em 206 milhões de euros, registou declínio de 6,8% face a ao primeiro semestre de 2020. Na região, a conta decomposta pelas unidades Mapfre España (que inclui Portugal) e Mapfre Vida apresenta quebra de quase 23% para 102,7 milhões de euros no lucro da primeira, compensada por subida de 17%, para 103,3 milhões na unidade Mapfre Vida.

A quebra no resultado atribuído da Mapfre España (-23%) reflete decréscimo homólogo de 26% no lucro da atividade Não Vida, por sua vez explicado pelo efeito de uma provisão extraordinária destinada a cobrir custos de um programa de saídas voluntárias que a companhia está a implementar no resto do ano.

Do lucro gerado na área regional Iberia – que integra Mapfre España e a filial em Portugal, mais o negócio Vida (MAPFRE Vida) e filiais de banca seguros – dois milhões de euros representam o resultado gerado em Portugal, o qual desceu 41,8% ou -1,5 milhão face a junho de 2020. Os prémios emitidos e aceites em território português ascenderam a 65,4 milhões de euros, menos 2,2% em comparação com igual semestre do ano passado.

Segundo comunicação no site em castelhano, o rácio combinado calculado para a filial em Portugal deteriorou 1,6 p.p., de 95,9% para 97,5% em junho último. A rentabilidade dos capitais próprios (RoE) desceu de 6,4% em junho de 2020, para 5,4% este ano.

O programa de saídas voluntárias é para concretizar neste 3º trimestre e dirige-se a funcionários em operações de seguro em Espanha. O plano de dispensas (reformas), com adesão condicionada a requisitos de idade e antiguidade, tem como finalidade melhorar eficiência nos processos administrativo e vendas, adequando o efetivo de pessoal a nova estrutura operacional e digitalização, explica a Mapfre.

Para cobrir os custos do plano de saídas, o grupo constituiu “dentro da região Iberia, uma provisão extraordinária por valor aproximado de 75 milhões de euros”, a distribuir pela área de seguros não Vida (65,2 milhões) e de Vida (9,8 milhões).

Caracterizando a atividade na área regional, a companhia voltou a ganhar quota de mercado no ramo auto, “apesar da estagnação no mercado automóvel. Os prémios cresceram 2,7% para 1,1 mil milhões de euros, com quase 6,15 milhões de veículos segurados (+4,8%) e um rácio combinado de 93,1%. Nos seguros gerais, os prémios cresceram 5,1% para 1 270 milhões, referindo bom desempenho do segmento Home (+2,6%), Comunidades (+6,1%) e Empresas (+8,7%).

Os prémios de Saúde e Acidentes cresceram 9,3% para 722 milhões de euros, detalhou a seguradora realçando ainda “o bom desempenho do negócio MAPFRE Santander, cujos prémios no final de junho ascendiam a cerca de 25 milhões de euros”. Os ativos dos fundos de pensões ascenderam a 6 115 milhões de euros no final de junho (+6,3%), enquanto os fundos de investimento cresceram 11,9% para 4 338 milhões de euros.

Globalmente, com a receita semestral a aumentar 6,1%, até 14,08 mil milhões de euros, o grupo Mapfre cresceu 6,2% em prémios emitidos e aceites, totalizando 11,66 mil milhões de euros. Deste montante, cerca de 9,35 mil milhões foram gerados em negócios não Vida, a progredirem 6,2% face a junho de 2020, enquanto o ramo Vida somou 2,31 mil milhões de euros, em progressão de 4,3%.

O resultado líquido atribuível à sociedade dominante (lucro depois de interesses minoritários) ascendeu a 364 milhões de euros no perímetro consolidado, um aumento de 34,5% em comparação com o mesmo período do ano passado, beneficiando da melhoria dos resultados da subsidiária Mapfre RE (que integra as unidades Reaseguro e Global Risks) e “apesar dos sinistros relacionados com a Covid-19 de mais de 266 milhões de euros, a maioria dos quais relacionados com o negócio de Vida (152 milhões de euros).”

Fernando Mata, Diretor Financeiro do grupo, comentou: “Estes resultados demonstram a força do Grupo e a sua capacidade de adaptação a ambientes em mudança, como aquele em que estamos a viver. Isto é possível graças à solidez do nosso modelo empresarial, diversificado e com posições de liderança nos principais mercados, bem como uma forte base de capital, que nos permite encarar o futuro com otimismo”.

A companhia acrescenta ainda que, desde o início da pandemia, já pagou mais de 588 milhões de euros por sinistros relacionados com a Covid-19, dos quais 266 milhões de euros no decorrer do primeiro semestre de 2021, período em que o indicador de eficiência (rácio combinado) melhorou 1,6 p.p. para 95,1%, sendo calculado em 96,3%, a agravar-se 2,4 p.p. na região ibérica.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mapfre lucra menos 42% em Portugal até junho. Provisiona 75 milhões para saídas voluntárias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião