DGS recomenda vacinar crianças dos 12 aos 15 anos só com comorbilidades

A Direção-Geral da Saúde recomenda a vacinação contra a Covid-19 dos 12 e os 15 anos, ainda que apenas dirigida aos jovens com comorbilidades de risco.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda vacinação contra a Covid-19 dos jovens entre os 12 e os 15 anos, ainda que apenas dirigida às crianças com comorbilidades de risco, anunciou Graça Freitas, esta sexta-feira, em conferência de imprensa.

“A Direção-Geral da Saúde recomenda a vacinação prioritária contra a Covid-19 dos adolescentes com 12 a 15 anos de idade com comorbilidades associadas a maior risco de doença grave”, revelou Graça Freitas, em declarações transmitidas pela RTP3.

Além disso, a responsável apontou que as autoridades de saúde irão emitir um parecer “sobre a vacinação universal” dos jovens entre os 12 aos 15 anos “logo que estejam disponíveis dados adicionais sobre a vacinação destas faixas etárias”, disse Graça Freitas. Não obstante, a DGS sublinha que “deve ser dada a possibilidade de acesso a vacinação a qualquer adolescente” entre os 12 a 15 anos “por indicação médica e de acordo com a calendarização da campanha de vacinação”.

Graça Freitas lembrou ainda que “a vacina é a medida mais eficaz e mais potente para prevenir a Covid“, pelo que o “objetivo primordial” é “vacinar primeiramente aqueles que mais beneficiam dela”. Nesse sentido, e apesar de referir que a doença tende a ser ligeira nas crianças, a responsável assinala que as crianças com comorbilidades têm um maior risco de sofrer doenças mais graves. Estima-se que haja 410 mil crianças entre os 12 e os 15 anos.

A diretora-geral da Saúde relembrou ainda que há duas vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento (EMA na sigla em inglês) para serem administradas nestas faixas etárias e que o regulador europeu emitiu um alerta para a vacinação desta faixa etária, apesar de sublinhar que na generalidade dos países europeus não houve tempo suficiente para saber se existiram complicações relacionadas com a inoculação de jovens e crianças.

Esta posição foi tomada depois de, na semana passada, o primeiro-ministro ter dito que estava “tudo preparado” para administrar as duas doses das vacinas contra a Covid-19 a 570 mil crianças e jovens entre os 12 e 17 anos nos fins de semana entre 14 de agosto e 19 de setembro. Segundo explicou o coordenador do plano de vacinação contra a Covid-19, a ideia é que a vacinação dos jovens de 16 e 17 anos comece no fim de semana de 14 e 15 de agosto e que os fins de semana seguintes sejam reservados para os jovens entre os 12 e os 15 anos, isto apesar de a Região Autónoma da Madeira começar a vacinar os maiores de 12 anos já este sábado.

Por fim, Graça Freitas revelou que os especialistas estão a estudar o intervalo “ótimo” entre a administração da primeira e da segunda dose das vacinas, por forma a acelerar o processo de vacinação. Esta hipótese surgiu depois de Henrique Gouveia e Melo ter pedido que esse intervalo fosse encurtado para que fosse possível vacinar os jovens abaixo dos 16 anos ainda antes do início do novo ano letivo.

(Notícia atualizada pela última vez às 18h30)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

DGS recomenda vacinar crianças dos 12 aos 15 anos só com comorbilidades

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião