Apesar das menores restrições, economia desacelerou no final de agosto

Com o país a entrar na segunda fase do plano de desconfinamento, a economia não acelerou. Pelo contrário, travou no final de agosto, segundo o indicador do Banco de Portugal.

Apesar de o país ter avançado nessa semana para a segunda fase do plano de desconfinamento, a atividade económica desacelerou no final de agosto, de acordo com o indicador do Banco de Portugal. A influenciar o resultado está também a base de comparação de 2020 que tenderá a ser cada vez maior. Apesar de ter travado, a economia portuguesa continua a crescer face ao ano passado.

Na semana terminada a 29 de agosto, o indicador diário de atividade económica (DEI) e a taxa bienal correspondente diminuíram face à semana anterior“, revela o banco central esta quinta-feira. Na semana passada, o indicador tinha estabilizado, após ter acelerado na segunda semana de agosto, pouco depois de o país ter entrado na primeira fase do atual plano de desconfinamento.

DEI desacelera no final de agosto

Fonte: Banco de Portugal.

Na comparação direta com 2020, o indicador do banco central tem apresentado fortes crescimentos desde o fim do segundo confinamento, em março. A 29 de agosto, o último dia para o qual foi apurado o DEI, o crescimento homólogo do indicador foi de 1,1%, bem abaixo dos 8% da semana anterior. Quanto à média móvel semanal, o último valor é o de 26 de agosto: uma subida homóloga de 1,7%, bem abaixo dos 5,6% da semana anterior.

Já na comparação com a média dos últimos dois anos (2019 e 2020), o indicador volta a inverter para valores negativos, sem conseguir manter-se durante muito tempo a crescer. Ou seja, neste momento, a atividade económica medida por este indicador do Banco de Portugal está abaixo da média da atividade neste mesmo momento em 2019 e 2020. A média móvel semanal do DEI face ao acumulado de dois anos a 26 de agosto foi de -2,6% e o valor diário a 29 de agosto foi de -2%.

DEI volta a contrair na comparação com acumulado de 2019 e 2020

Fonte: Banco de Portugal.

O indicador diário de atividade económica do Banco de Portugal tem estado a crescer face a 2020 mas cada vez menos, desacelerando ao longo de junho e julho e acelerando ligeiramente em agosto, uma tendência que foi revertida na última semana do mês. Tal é explicado pela maior base de comparação em 2020 (nesta altura o país já estava desconfinado no ano passado), mas também pela introdução de mais restrições na maioria do país em junho e julho por causa do aumento de casos provocado pela variante Delta.

Em agosto, perante o avanço do processo de vacinação, o Governo decidiu retirar mais restrições no início do mês, nomeadamente de horários, e a 23 de agosto o país avançou para a segunda fase do atual plano de desconfinamento. Com a perspetiva de que 85% da população esteja totalmente vacinada a meio de setembro, Portugal deverá desconfinar ainda mais, o que deverá contribuir para o dinamismo da economia.

A próxima divulgação do DEI está marcada para 9 de setembro.

(Notícia atualizada às 11h30 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apesar das menores restrições, economia desacelerou no final de agosto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião