Fed denota ligeiro abrandamento no crescimento económico em julho e agosto

  • Lusa
  • 8 Setembro 2021

"O crescimento económico [dos EUA] decresceu ligeiramente para um ritmo moderado no início de julho até agosto", indica a Reserva Federal norte-americana.

A Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos, que atua como banco central do país, assinalou um ligeiro abrandamento do crescimento económico, passando para um “ritmo moderado” entre julho e agosto, de acordo com o Livro Bege publicado esta quarta-feira.

Segundo a publicação que analisa as condições económicas do país e de 12 bancos centrais espalhados pelos Estados Unidos, “o crescimento económico decresceu ligeiramente para um ritmo moderado no início de julho até agosto”.

“A desaceleração na atividade económica foi largamente atribuível a um recuo nas refeições fora de casa, viagens e turismo“, algo que “refletiu as preocupações de segurança devido ao aumento da variante Delta [do coronavírus que causa a covid-19] e, nalguns casos, restrições internacionais de viagens”, de acordo com o Livro Bege, publicado oito vezes por ano.

Outros setores mais afetados foram “aqueles constrangidos por disrupções na oferta e cortes no emprego, como oposto do aligeirar da procura”, assinala a Fed. “Em particular, as fracas vendas de automóveis foram largamente atribuídas a inventários reduzidos devido à atual escassez de ‘microchips’“, assinala o relatório hoje publicado.

A instituição liderada por Jerome Powell destacou, por outro lado, que os setores que demonstraram melhor resposta foram a indústria transformadora, os transportes, serviços não financeiros e o imobiliário residencial.

Relativamente ao trabalho, os dados das diferentes regiões em análise “continuaram a reportar o crescimento do emprego em geral, apesar da caracterização do ritmo da criação de empregos ter ido de ligeira a forte”. “A procura de trabalhadores continuou a fortalecer-se, mas todos os distritos [regiões dos bancos centrais em análise] denotaram grandes faltas de trabalhadores que estavam a constranger o emprego e, em muitos casos, a impedir a atividade dos negócios”, pode ler-se no Livro Bege.

Quanto aos preços, a inflação foi reportada como estando “estável a um ritmo elevado”, com metade das regiões em análise a “caracterizar o ritmo de aumento de preços como forte, ao passo que metade a descreveu como moderado”.

A Fed terá a sua próxima reunião sobre política monetária nos dias 21 e 22 de setembro, ocasião em que também divulgará previsões macroeconómicas para os Estados Unidos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fed denota ligeiro abrandamento no crescimento económico em julho e agosto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião