Concessionária da Mercedes paga “dívida” de Fernando Santos no Azerbaijão

A Sociedade Comercial C. Santos, histórica concessionária da Mercedes no Norte do país, enviou ao selecionador azeri, Gianni de Biasi, uma garrafa do Vinho do Porto que comemora os 75 anos da empresa.

Na antevisão do jogo com Portugal, que viria a perder 0-3, o selecionador do Azerbaijão recordou uma vitória contra a equipa nacional em 2014, quando orientava a Albânia, e que acabou por levar à demissão de Paulo Bento do comando técnico. “Gostaria de lembrar que Fernando Santos ainda me deve uma garrafa de vinho do Porto porque se tornou selecionador [de Portugal] graças a mim e depois foi campeão europeu”.

Na sequência deste episódio e após ouvir o técnico português dizer que desconhecia a promessa, mas teria “todo o prazer” em enviar uma caixa de vinho do Porto ao homólogo azeri, a Sociedade Comercial C. Santos, histórica concessionária da Mercedes no norte do país, antecipou-se e já enviou a Gianni de Biasi um exemplar da garrafa comemorativa dos 75 anos da empresa, que se assinalam em 2021. Um Tawny 20 anos, em decanter, produzido pela Rozés numa edição limitada.

Num vídeo com o título “Treinadores, treinadores… dívidas à parte!”, publicado no Youtube, o humorista Nilton – “embaixador” da concessionária liderada por Abel Pinho da Costa, que emprega cerca de 350 pessoas – explica toda a história e deixa a garantia ao atual selecionador do Azerbaijão: “Portugal tem uma dívida e nós não queremos ficar a dever nada a ninguém”.

A Sociedade Comercial C. Santos, que no ano em que surgiu a pandemia viu a faturação baixar de 150 milhões em 2019 para cerca de 130 milhões de euros em 2020, é um dos maiores concessionários Mercedes e Smart em Portugal. Reclama a disputa da liderança com a Carclasse (Minho e Lisboa) e a C. Santos VP (opera sobretudo na região da capital), com as três a dominarem 40% do mercado.

A empresa tem um stand em Felgueiras e outro na Boavista (Porto), mas é na Maia, com mais de 62 mil metros quadrados, que concentra a comercialização e reparação de viaturas novas e usadas, um “rent-a-car” exclusivo de marcas do grupo Daimler, a venda de lubrificantes e o maior armazém nacional de peças da Mercedes.

No complexo-sede na Maia, a menos de um quilómetro do Aeroporto Francisco Sá Carneiro e num terreno que antes servia de estacionamento à área da colisão, está a investir seis milhões de euros numa nova área de exposição com mais de 3.000 metros quadrados. A obra visível à face da estrada que liga ao centro da cidade arrancou em 2019 e só deverá estar concluída no final de 2021.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Concessionária da Mercedes paga “dívida” de Fernando Santos no Azerbaijão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião