Banca queixa-se da linha Retomar com garantia

  • ECO
  • 24 Setembro 2021

O Banco de Fomento ainda tentou fazer alterações para tornar a linha mais atrativa para a banca portuguesa, mas não tinha muita margem de ajuste.

Os bancos consideram que a Linha Retomar é inútil por causa das restrições impostas, pelo que não vão contar com a mesma para reestruturar os créditos das empresas viáveis após o fim das moratórias, revela esta sexta-feira o Jornal Económico (acesso pago).

O Banco de Fomento ainda tentou fazer alterações para tornar a linha mais atrativa para a banca portuguesa, mas não tinha muita margem de ajuste. As condições restritivas foram incluídas na ficha técnica da Linha Retomar por exigência do Ministério das Finanças.

O programa Retomar é uma linha de crédito de 1.000 milhões com garantias do Estado para empresas dos setores mais afetados pela pandemia que acordem com os seus bancos uma reestruturação de crédito depois do fim das moratórias. Como teto máximo de garantias, o Governo impôs os dez milhões de euros (25% de 40 milhões) mas só para empresas dos setores afetados pela pandemia que tenham uma garantia hipotecária com um loan-to-value igual ou inferior a 80%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Banca queixa-se da linha Retomar com garantia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião