Bitcoin afunda 8% após China ilegalizar transações com criptomoedas

Banco Central da China disse que vai proibir todas as transações e mineração de moedas digitais no país, deixando mercado de criptomoedas sob pressão.

A China voltou a apertar o cerco às criptomoedas, proibindo as transações e a mineração de criptomoedas no país e levando a bitcoin, a maior moeda digital do mundo, a cair mais de 8% na manhã desta sexta-feira.

Ao início da tarde, a bitcoin cedia 7,36%, para 41.594 dólares, enquanto outras importantes moedas, como a Ethereum, Litecoin e Chainlink, tombavam mais de 10%, segundo a plataforma de negociação Bitstamp.

O Banco Central da China disse também que vai proibir as instituições financeiras e de meios de pagamento estrangeiras de prestarem serviços de criptomoedas aos residentes, num novo esforço do governo de Pequim para reprimir “resolutamente” a especulação e as atividades com moedas virtuais, “a fim de salvaguardar os bens das pessoas e manter a ordem económica, financeira e social”, lê-se num comunicado do Partido Comunista Chinês.

Bitcoin sob pressão:

Além das quedas vertiginosas no mercado de criptomoedas, os investidores também estão a castigar as empresas relacionadas com as moedas virtuais e blockchain. As empresas de mineração Riot Blockchain, Marathon Digital e Bit Digital tombavam mais de 5% em bolsa, enquanto a plataforma de negociação Coinbase desliza 2,23%, para 232,18 dólares.

“Os mercados de cripto estão num estado geral extremamente frágil, e esses tipos de desaceleração mostram essa fragilidade: há um certo grau de pânico no ar”, afirmou Joseph Edwards, da corretora de criptomoedas Enigma Securities, citado pela agência Reuters.

“As criptomoedas continuam a existir numa área cinzenta de legalidade em toda a China”, observou ainda o mesmo responsável.

A mineração de moedas virtuais tem sido um importante negócio na China, representando mais de metade da produção mundial de criptomoedas, antes de as autoridades chinês intensificaram a vigilância e regulação em torno destas atividades

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bitcoin afunda 8% após China ilegalizar transações com criptomoedas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião