Assaltos a carros aumentam devido a preços elevados de metais nos catalisadores

  • ECO
  • 8 Outubro 2021

Só até agosto, os roubos de catalisadores já tinham motivado mais de 3.000 queixas, sendo que, em todo o ano de 2020, as queixas pelo mesmo motivo não chegaram ao milhar.

Só nos primeiros oito meses deste ano, a Polícia de Segurança Pública (PSP) já recebeu 3.206 queixas motivadas pelo furto de catalisadores de automóveis, um aumento exponencial face às 839 queixas de todo o ano de 2020, revela esta sexta-feira o Diário de Notícias (acesso pago).

O roubo de catalisadores dos carros deve-se aos preços elevados dos metais preciosos neles presentes, nomeadamente platina, paládio e ródio. Na quinta-feira, por exemplo, a platina estava cotada a 27,34 euros o grama, o paládio a 39,65 euros e o ródio já chegou a atingir os 50 euros o grama, sendo considerado o metal mais caro do grupo da platina e até com valor superior ao ouro.

A PSP já criou um grupo especializado para investigar este crime, designado Equipas Regionais de Investigação à Criminalidade Automóvel (SRICA). Até setembro, as SRICA tinham referenciado 449 suspeitos de participarem nesta atividade, tendo ainda recuperado mil catalisadores roubados.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Assaltos a carros aumentam devido a preços elevados de metais nos catalisadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião