Quase 20 empresas irlandesas vão testar semana de quatro dias de trabalho

O piloto de redução no horário laboral está a ser testado em colaboração com outros países, incluindo os Estados Unidos, o Reino Unido e a Nova Zelândia.

Na Irlanda, já 17 empresas optaram por fazer parte do projeto-piloto internacional que tem como objetivo a introdução da semana de trabalho de quatro dias semanais. O piloto de redução no horário laboral está a ser testado em colaboração com outros países, incluindo os Estados Unidos, o Reino Unido e a Nova Zelândia.

“Estamos encantados por ver 17 empresas na Irlanda comprometerem-se a participar no nosso projeto-piloto da semana de quatro dias até à data. Desde que lançámos o programa temos tido um enorme interesse por parte de empresas irlandesas, que querem fazer parte desta força positiva de mudança”, afirma Kevin Callinan, secretário-geral da Fórsa, o sindicado que está responsável pelo piloto, citado pela Breakingnews.ie (acesso livre, conteúdo em inglês).

O projeto vai testar a eficácia de uma semana de quatro dias, encorajando os empregadores a implementar a mudança por um período de seis meses, a partir de fevereiro de 2022. Durante o programa, as empresas terão acesso a um conjunto de apoios que pretendem ajudar na transição, tais como um programa de formação desenvolvido por empresas que já operam uma semana de quatro dias, coaching e mentoring.

“Produtividade, bem-estar humano e sustentabilidade ambiental” serão as dimensões avaliadas no contexto irlandês. Kevin Callinan antecipa que os resultados poderão ser uma “política de dividendos triplos”, melhorando o bem-estar humano, económico e ecológico.

“Sabemos pela nossa investigação que uma semana de quatro dias não tem impacto na produtividade, pelo que não há razão para não experimentar. Estamos ansiosos por apoiar os empregadores já inscritos na sua viagem para uma semana de quatro dias, e estamos a encorajar aqueles que estão a considerar participar no teste a entrarem em contacto connosco”, continua.

“Demasiado complicada”, “demasiado dispendiosa”

A ideia não foi, contudo, recebida por todos com o mesmo entusiasmo. Os investigadores do IBEC consideram que uma semana de trabalho de quatro dias é “demasiado complicada para ser implementada pelas empresas”, nomeadamente por ser “demasiado dispendiosa” e “perturbadora para os clientes”.

Pode encontrar mais informação sobre a campanha pela semana de quatro dias de trabalho na Irlanda aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quase 20 empresas irlandesas vão testar semana de quatro dias de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião