Dona da Tide e Gillette deixa subidas de preços em Portugal “ao critério do retalhista”

Dona de marcas como Tide, Gillette e Oral-B vai aumentar preços nos EUA, por causa dos custos elevados das matérias-primas e do transporte. Em Portugal, alterações ficam "ao critério do retalhista".

A P&G detém marcas icónicas como Tide, Gillette e Oral-BMike Mozart via Flickr

A Procter & Gamble (P&G), produtora de produtos icónicos de grande consumo — como o detergente Tide, as lâminas de barbear Gillette e os produtos Oral-B –, anunciou que vai aumentar os preços de alguns produtos icónicos nos EUA, por causa do aumento de custos relacionados com a cadeia de abastecimento. Quanto a Portugal, porém, a empresa recusa “especular sobre futuras alterações” e deixa “ao critério do retalhista”.

“No anúncio sobre os resultados de ontem [terça-feira], a P&G mencionou aumentos de preços em certos produtos de higiene oral, cuidados de pele e higiene pessoal para a América do Norte. Em Portugal, não podemos especular sobre futuras alterações de preços, ou sobre a evolução dos mercados no futuro”, disse ao ECO fonte oficial da empresa.

A mesma fonte sublinha que “todas as decisões em matéria de preços ficam exclusivamente ao critério do retalhista”. Ou seja, são os grupos de retalho que detêm as grandes superfícies comerciais a decidir se aumentam os preços destes produtos.

De acordo com a Reuters, a pesar na decisão da P&G nos EUA está o aumento dos custos das matérias-primas e de transporte. Esta despesa aumentou de 1,9 mil milhões para 2,3 mil milhões de euros no ano fiscal. “Não antecipamos um alívio nestas pressões do custo das matérias-primas”, disse o administrador financeiro, Andre Schulten.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dona da Tide e Gillette deixa subidas de preços em Portugal “ao critério do retalhista”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião