Preço das casas sobe 6,8% no segundo trimestre. Metro quadrado em Lisboa está a 3.497 euros

Entre abril e junho, os preços das casas em Portugal subiram 6,8% face ao mesmo período de 2020. Lisboa continua a ser a cidade mais cara do país: 3.497 euros por metro quadrado.

As casas ficaram 6,8% mais caras no segundo trimestre, com o metro quadrado a custar 1.268 euros a nível nacional. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados esta quinta-feira, Lisboa continua no topo das cidades mais caras para comprar casa, com o metro quadrado a custar 3.497 euros, quase três vezes mais do que a mediana nacional. Apesar disso, o ritmo de crescimento foi mais baixo.

Entre abril e junho, o preço mediano de alojamentos familiares transacionados em Portugal foi 1.268 euros por metro quadrado, um valor que representa uma subida de 2,2% face ao primeiro trimestre e de 6,8% face ao mesmo trimestre do ano passado. Os números mostram uma aceleração dos preços, “interrompendo a desaceleração” do arranque do ano, diz o INE. Isto porque, entre janeiro e março, a subida tinha sido de apenas 3,1%.

Analisando as 25 sub-regiões do país, o Algarve tem o metro quadrado mais caro do país (1.875 euros), à frente da Área Metropolitana de Lisboa (1.757 euros/m2), da Região Autónoma da Madeira (1.460 euros/m2) e da Área Metropolitana do Porto (1.333 euros/m2). Contudo, em termos de evolução dos preços, na Região Autónoma da Madeira e na Área Metropolitana do Porto foi onde os preços mais subiram: 11,5%.

Numa análise mais fina, filtrando por cidades, entre os 24 municípios com mais de 100 mil habitantes, foram 17 aqueles cujo metro quadrado superou a mediana nacional, refere o INE. No topo está, com tem sido habitual, Lisboa, com o metro quadrado a custar 3.497 euros, quase o triplo da mediana do país. Atrás aparece Cascais (3.040 euros/m2), Oeiras (2.519 euros/m2) e Porto (2.189 euros/m2).

O INE destaca que “todos os municípios das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto — com exceção de Gondomar e Santa Maria da Feira — registaram preços medianos de habitação superiores ao nacional”.

Já em termos de evolução dos preços, foram 12 os municípios onde os preços subiram mais do que a mediana nacional (6,8%). No topo aparece a Maia (+16,8% para 1.412 euros/m2), à frente de Matosinhos (+15,4% para 1.882 euros/m2) e Vila Franca de Xira (+14,2% para 1.497 euros/m2). Lisboa, por sua vez, viu os preços subirem apenas 1,4%, recuperando, assim, da desaceleração observada no trimestre anterior.

Os dados publicados esta quinta-feira pelo INE permitem analisar a evolução dos preços nos últimos 12 meses terminados em junho. Assim, é possível perceber que o preço mediano das casas foi 1.218 euros por metro quadrado entre julho de 2020 e junho de 2021. Neste período, Lisboa foi também a cidade mais cara (3.318 euros por metro quadrado), enquanto Fornos de Algodres, na Guarda, foi a mais barata (166 euros por metro quadrado).

(Notícia atualizada às 11h32 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preço das casas sobe 6,8% no segundo trimestre. Metro quadrado em Lisboa está a 3.497 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião