Pedro Nuno Santos diz que geringonça “não foi um parêntesis na história da democracia portuguesa”

O OE2022 foi chumbado, mas Pedro Nuno Santos garante que o entendimento à esquerda funcionou enquanto solução governativa, pela sua duração e pelos seus resultados.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação garante que o entendimento à esquerda “não foi um parêntesis na história da democracia portuguesa” e avisa que a direita vai ter de se habituar a isso. Em declarações aos jornalistas transmitidas pela RTP 3, Pedro Nuno Santos defendeu que a gerigonça funcionou, tanto pela sua duração, como pelos resultados que foi capaz de produzir.

“Esta solução funcionou. Sei que isso incomoda muito a direita, mas vão ter de se habituar porque não foi um parêntesis na história da democracia portuguesa”, sublinhou o governante. Isto apesar de o Bloco de Esquerdo e o PCP terem recentemente chumbado a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo Governo do PS, pondo um ponto final ao atual Executivo de António Costa.

Pedro Nuno Santos fez também questão de lembrar que a geringonça “durou seis anos”, sendo, por isso, a solução governativa com a “segunda maior duração” na história da democracia lusa. “Portanto, se alguma coisa se provou, é que esta solução funciona“, atirou o ministro. “E não só funciona pelo tempo que durou como pelos resultados que proporcionou ao país”, detalhou, dando como exemplos o excedente orçamental conseguido antes da pandemia, a redução da dívida pública em percentagem do Produto Interno Bruto, a recuperação dos rendimentos das famílias e o investimento no estado social. “Mais, num Governo apoiado pelo PCP e pelo BE, conseguimos taxas de juro inferior à de Itália e de Espanha“, salientou o mesmo responsável.

Face ao chumbo da proposta de Orçamento do Estado para 2022, o Chefe de Estado já sinalizou que irá agora dissolver a Assembleia da República e convocar eleições antecipadas. A decisão ainda não foi anunciada oficialmente ao país, mas Marcelo Rebelo de Sousa deverá dar a conhecer a data da próxima ida às urnas ainda esta semana.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pedro Nuno Santos diz que geringonça “não foi um parêntesis na história da democracia portuguesa”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião