Regresso ao teletrabalho depende da evolução da pandemia, diz ministra

  • ECO
  • 15 Novembro 2021

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, disse esta segunda-feira que regressar ao teletrabalho depende do agravamento das infeções por Covid-19, garantindo estar a acompanhar a evolução pandémica.

O regresso ao teletrabalho está dependente da evolução da pandemia de Covid-19, disse esta segunda-feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, apontando que o risco está a ser monitorizado tanto pelo seu Ministério, como pelo da Saúde.

Segundo Ana Mendes Godinho, citada pela Rádio Renascença (acesso livre), “a situação vai sendo acompanhada, avaliada, em função do risco, e essa será uma avaliação que será feita em avaliação das circunstâncias”. Mediante essa avaliação é que serão implementadas em cada momento “as medidas que sejam necessárias”, acrescentou.

A ministra, que falava na Gulbenkian, em Lisboa, à margem de uma conferência sobre o pós-pandemia, mostrou-se ainda preocupada com o aumento do número de casos em lares de terceira idade. “Os lares refletem a evolução da pandemia que acontece a nível geral. Estamos sempre a acompanhar a evolução do número de surtos, ou de situações que exijam uma preocupação ou uma resposta rápida”, indicou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Regresso ao teletrabalho depende da evolução da pandemia, diz ministra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião