BRANDS' PESSOAS Modelo híbrido e as novas formas de trabalhar. Como prosperar no futuro?

  • PESSOAS + EY
  • 30 Novembro 2021

O modelo híbrido está na agenda do dia. As organizações sabem que o futuro passa pela flexibilidade, mas poucas compreenderam ainda qual a magnitude que essa mudança representa.

O perigo que pode acontecer às organizações, no contexto turbulento em que vivemos, é abordarem a flexibilidade de forma tática. Identificar que funções são elegíveis para integrar o modelo híbrido e quais as regras básicas de funcionamento é essencial para sobreviver, mas empresas que queiram desafiar o futuro e com ele prosperar, devem encarar a flexibilidade como um conceito central que irá marcar as novas formas de trabalhar. Neste sentido, o tema deve ser abordado de forma estratégica e concertada.

Existem 5 aspetos importantes para esta reflexão.

Cultura. Num modelo híbrido, com as equipas dispersas, é fácil o vínculo emocional começar a ficar mais diluído, e sem um engagement forte, o turnover começa a aumentar (já está a acontecer em setores mais competitivos), desestabilizando a performance das equipas. Assim, a cultura, e sobretudo os seus key drivers, devem ser repensados à luz do novo contexto, para garantir alinhamento e compromisso.

Escritório. Os espaços podem ser mais pequenos, mas devem refletir a identidade corporativa e promover a colaboração e inovação. A integração física e digital é essencial. As salas de reuniões, por exemplo, devem estar equipadas com tecnologia que garanta que as pessoas que estão a trabalhar remotamente estão tão integradas como todas as outras, caso contrário, os desequilíbrios começam a pesar.

Wellbeing e gestão do talento. Com a fronteira casa/trabalho cada vez mais ténue, é essencial garantir equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, pois a exaustão emocional de estar “sempre ligado” poderá conduzir ao burnout. A gestão do talento também deverá ser repensada, assegurando o mesmo acesso a promoções, cargos de liderança ou salários, a quem optar por ficar mais tempo a trabalhar remotamente.

Processos e competências. Para ganhar agilidade e eficiência num modelo híbrido, os processos e flows organizacionais devem ser digitalizados e os colaboradores preparados e munidos das ferramentas necessárias para conseguirem entregar a melhor performance.

Liderança. O conceito do líder coach não é recente, mas ganha agora uma nova amplitude. Num modelo híbrido, de equipas dispersas, é essencial o líder conhecer, acompanhar, desafiar, desenvolver e cuidar da sua equipa. O foco terá de passar do controlo para a confiança, dos processos para os resultados, assumindo o líder um papel de ligação emocional central, entre a organização e os colaboradores.

Porque temos consciência que endereçar todos estes desafios de forma estratégica e concertada não é fácil. Ainda para mais num contexto global de elevada velocidade. A EY e a Microsoft uniram esforços para apoiar as organizações a desenhar o futuro do trabalho de forma mais inteligente.

Partindo dos objetivos estratégicos das organizações, dos seus pain points e ambições, personalizamos a ferramenta Viva Insights por forma a recolher dados para melhor compreender o As Is, mapear prioridades e fazer a evolução para o To Be. Com esta análise conseguimos apoiar os colaboradores a trabalharem de forma mais produtiva, os líderes a acompanharem e desenvolverem melhor as suas equipas e a organização a fazer a evolução cultural desejada.

O modelo híbrido apresenta-se cheio de desafios, mas as organizações que se reinventem através das novas formas de trabalhar conseguirão uma vantagem competitiva para prosperar.

Interessado em saber mais? Subscreva aqui as comunicações da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc).

Por Tânia Ribeiro, Senior Manager EY, People Advisory Services

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Modelo híbrido e as novas formas de trabalhar. Como prosperar no futuro?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião