Nasdaq valoriza 3%, a maior subida desde março

As cotadas tecnológicas protagonizaram as maiores subidas em Wall Street nesta terça-feira.

Wall Street seguiu em alta pelo segundo dia consecutivo, recuperando das perdas registadas na semana passada por causa da variante Ómicron. O setor tecnológico, que tinha sido um dos mais penalizados nas últimas sessões com a especulação de que as cotadas estariam sobreavaliadas, foi um dos que liderou a subida dos mercados.

O Dow Jones subiu 1,4% para os 35.719,43 pontos e o S&P 500 avançou 2,07% para os 4.686,75 pontos, sendo que está apenas a 1% do seu máximo histórico alcançado em novembro deste ano. Porém, a estrela entre os três principais índices norte-americanos foi o tecnológico Nasdaq com uma valorização de 3,03% para os 15.686,92 pontos.

Entre as cotadas do setor, o destaque vai para a Adobe com uma subida superior a 4% e para a Apple com uma valorização acima de 3% no dia em que o banco de investimento norte-americano Morgan Stanley aumentou o preço-alvo da cotada para 200 dólares (fechou a sessão nos 171,18 dólares). A Microsoft e a Amazon valorizaram mais de 2% e a Meta (dona do Facebook) mais de 1%.

Além das tecnológicas, também as fabricantes de chips registam fortes ganhos com a NVIDIA a valorizar 7%, a Micron a somar 4% e a Intel a subir 3%. Neste último caso, a empresa revelou que irá cotar em bolsa o segmento empresarial de carros autónomos (Mobileye) a meio do próximo ano.

As cotadas energéticas também valorizaram esta terça-feira, beneficiando do aumento da cotação do petróleo em Nova Iorque e da melhoria das perspetivas para a procura futura por petróleo face às indicações de que a variante Ómicron poderá não ter um impacto económico tão grande quanto se temia.

Com a Ómicron em segundo plano, o foco dos mercados regressa à evolução da política monetária da Reserva Federal. A Fed reúne-se na próxima semana para decidir os próximos passos e os comentários feitos pelos responsáveis apontam para que acelere o ritmo de redução da compra de ativos. Além disso, poderá pistas sobre quando irá aumentar os juros diretores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nasdaq valoriza 3%, a maior subida desde março

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião