Preços sobem 2,8% em dezembro. Inflação ficou nos 1,3% em 2021

A impulsionar a inflação no mês passado estiveram, sobretudo, os preços dos produtos energéticos, que dispararam 11%. Taxa ficou nos 1,3% em 2021, o valor mais alto desde o início de 2018.

Os preços em Portugal voltaram a acelerar em dezembro, com o índice de preços no consumidor a subir 2,8%, de acordo com a estimativa rápida divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira. A taxa de inflação terá ficado, em média, nos 1,3% em 2021.

A impulsionar os preços no mês passado esteve, sobretudo, a componente energia. “Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 11,2% (14,1% no mês precedente) enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 3,2% (0,8% em novembro)”, indica o gabinete de estatísticas nacional.

Sem estas duas componentes, que são as que apresentam maiores variações, a taxa de inflação subjacente terá ficado nos 1,8% em dezembro, 0,1 pontos percentuais acima da taxa registada no mês anterior.

Comparativamente com o mês anterior, a variação do índice de preços no consumidor terá sido nula, depois do avanço de 0,4% em novembro de 2021 e do recuo de 0,1% em dezembro de 2020.

Já a taxa média dos últimos 12 meses, neste caso referente a todo o ano de 2021, terá ficado nos 1,3%, o valor mais alto desde o início de 2018.

O INE apresenta os dados definitivos para a inflação no próximo dia 12, mas frisa que estes “resultados tenderão a ser próximos dos definitivos, atendendo aos testes que efetuou internamente antes de iniciar a divulgação das estimativas rápidas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preços sobem 2,8% em dezembro. Inflação ficou nos 1,3% em 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião