“Vacina” é eleita a palavra do ano de 2021

Cerca de 35 mil pessoas votaram na iniciativa da Porto Editora, que consagra a vacina no plano lexical e fecha o pódio com “resiliência” e “teletrabalho”. Recorde as palavras vencedoras desde 2009.

A vacina contra a Covid-19 foi aplicada no braço de mais de 8,7 milhões de portugueses e entra agora para a história como a Palavra do Ano de 2021, numa iniciativa organizada pela Porto Editora em que votaram cerca de 35 mil pessoas.

No final do período de votação, que aconteceu durante o mês de dezembro, “vacina” recolheu a preferência de 45% dos participantes, superando “resiliência” (31%) e “teletrabalho” (9%). Fora do pódio ficaram as restantes finalistas: “bazuca” (6,5%), “criptomoeda (2,9%), “podcast” (1,9%), orçamento (1,4%), mobilidade (0,9%), apagão (0,7%) e “moratória” (0,6%).

“A vacinação contra a Covid-19 marcou o ano de 2021, não só pelo sucesso do processo que colocou Portugal num lugar cimeiro a nível mundial, mas também porque permitiu a redução do número de vítimas da doença e o alívio das restrições a que os portugueses foram sujeitos”, contextualiza a Porto Editora.

Segundo o mais recente relatório de vacinação, 8.698.042 portugueses têm a vacinação primária completa e há também 95.752 crianças (dos 5 aos 11 anos) com a vacinação iniciada. Esta manhã, a Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que Portugal ultrapassou a fasquia das três milhões de doses de reforço administradas, das quais quase dois milhões em maiores de 65 anos.

“Vacina” sucede assim a “saudade”, que foi a palavra escolhida pelos portugueses no ano passado, que tinha sido marcado pelo “impacto que o distanciamento físico e a rutura de rotinas tiveram no quotidiano da comunidade”, interpretou a editora na edição de 2020.

Da troika à geringonça

No histórico deste concurso estão os vocábulos “esmiuçar” (2009), “vuvuzela” (2010), “austeridade” (2011), “entroikado” (2012), “bombeiro” (2013), “corrupção” (2014), “refugiado” (2015), “geringonça” (2016), “incêndios” (2017), “enfermeiro” (2018) e “violência doméstica” (2019).

O grupo nortenho frisa em comunicado que, através desta iniciativa anual, “a Porto Editora e a infopedia.pt pretendem sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, acentuando, assim, o poder das palavras, que refletem o quotidiano da nossa sociedade em cada ano: os factos, os hábitos, os acontecimentos, as tendências e as preocupações coletivas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Vacina” é eleita a palavra do ano de 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião