Chega já começou a “condicionar e influenciar” Rio, avisa Costa

  • Joana Abrantes Gomes
  • 6 Janeiro 2022

Segundo o candidato do PS, o deputado André Ventura já conseguiu convencer Rui Rio quanto à visão do Chega sobre a prisão perpétua. Costa acusa todos os partidos de se terem unido para derrubar o PS.

No debate desta quinta-feira que frente a André Ventura, o primeiro-ministro e candidato socialista às eleições legislativas antecipadas de 30 de janeiro considerou um “grande perigo” a capacidade de o Chega “condicionar e influenciar” partidos democráticos, algo que, alega, já conseguiu fazer com o líder do PSD, Rui Rio.

“O grande perigo dos partidos como o Chega é quando começam a ter capacidade de condicionar e influenciar os partidos democráticos (…). O sr. deputado André Ventura já conseguiu até convencer o dr. Rui Rio“, afirmou António Costa, lembrando que o candidato social-democrata, no frente a frente com André Ventura, abriu a porta a um modelo de prisão perpétua com revisão de pena.

António Costa responsabilizou “desde o Bloco de Esquerda ao Chega” pela crise política que conduziu à marcação de eleições antecipadas, acusando “todos os partidos” de se terem unido para derrubar o PS. “Interromperam o esforço nacional da recuperação, puseram em causa o combate à pandemia […]”, apontou.

Durante o frente a frente, transmitido na RTP1, o secretário-geral do PS procurou “desarmar” André Ventura e o programa do Chega, repetindo por várias vezes: “Comigo não passa”. Sobre o líder do Chega, disse ainda que “fala, fala, fala, mas é preciso ver o que faz”. “Fala muito de corrupção, no dia 19 de dezembro onde estava? Faltou à Assembleia da República quando tinham sido votados dois diplomas fundamentais de combate à corrupção e por unanimidade com a ausência do Chega”, asseverou Costa.

Questionado sobre se o PS deve ajudar um eventual governo do PSD e impedir que fique refém do Chega, António Costa foi categórico: “Há uma forma muito simples de fazermos isso, que é assegurarmos uma maioria do PS e condições de governabilidade ao PS”.

Do outro lado, André Ventura sublinhou que o grande objetivo do partido que lidera é “tirar António Costa da governação” e garantiu que serão feitos “todos os sacrifícios para isso”. O presidente do Chega terminou o debate acusando o candidato socialista de “tentar interferir no processo Casa Pia”. “A mim não me dá lições de combate à corrupção“, atirou Ventura, a quem Costa não deixou ficar sem resposta: “Da última vez que fez uma acusação num debate acabou condenado pelo Supremo Tribunal”.

(Notícia atualizada às 22h42)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Chega já começou a “condicionar e influenciar” Rio, avisa Costa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião