Dados da inflação aliviam pressão em Wall Street

Inflação subiu para 7% em dezembro, naquele que foi o maior salto desde 1982. Mas os investidores já contavam com um aumento dessa grandeza.

Respira-se de alívio em Wall Street. Os principais índices de Nova Iorque abriram em alta pela primeira vez esta semana, depois de ter sido conhecido um relatório que mostrou uma subida histórica na inflação, mas totalmente dentro das expectativas dos analistas. Os mercados estavam com receio de que houvesse uma subida incontrolada da inflação, mas Jerome Powell já afirmou que tudo será feito para que se consiga controlar esse aumento.

O índice de referência financeiro, S&P 500, está a valorizar 0,37% para 4.730,50 pontos, acompanhado pelo industrial Dow Jones que sobe 0,4% para 36.398,19 pontos. Pelo mesmo caminho segue o tecnológico Nasdaq que avança 0,6% para 15.244,1 pontos.

Este desempenho acontece na sequência da divulgação do índice de preços ao consumidor em dezembro, que subiu 7% no último ano, naquele que foi o maior salto desde 1982, diz a CNBC (conteúdo em inglês). Apesar disso, esta subida ficou dentro das expectativas dos economistas.

“Os receios de uma inflação mais alta e persistente foram antecipados nos últimos meses. Portanto, os investidores já esperavam que a taxa de inflação aumentasse. O aumento de hoje está dentro das expectativas dos investidores”, diz Richard Flynn, diretor administrativo da Charles Schwab, citado pela CNBC.

Esta terça-feira, o presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed) disse esperar aumentos nas taxas de juro este ano, juntamente com o fim do programa de compra de títulos em março. Além disso, Jerome Powell afirmou que essas medidas serão necessárias para controlar a subida da inflação, num momento em que a economia do Estados Unidos recuperou substancialmente do choque da pandemia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dados da inflação aliviam pressão em Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião