Tribunal australiano decide deportação do tenista Novak Djokovic

  • Lusa
  • 16 Janeiro 2022

Novak Djokovic vai ser obrigado a sair do país e não poderá assim participar no Open da Austrália. Tenista afirma estar "desapontado" com decisão do tribunal.

O Tribunal Federal australiano indeferiu este domingo o recurso do tenista Novak Djokovic contra uma ordem de deportação, que implica uma proibição de entrar durante três anos na Austrália. Três juízes do Tribunal Federal confirmaram uma decisão tomada na sexta-feira pelo ministro da Imigração de cancelar o visto do sérvio, de 34 anos, por motivos de interesse público. Djokovic fica assim impossibilitado de disputar o Open da Austrália, que começa na segunda-feira.

A decisão significa provavelmente que Djokovic, que não está vacinado contra a covid-19, vai permanecer detido em Melbourne até ser deportado. Uma ordem de deportação inclui também, geralmente, uma proibição de três anos de entrar no país.

O tenista sérvio Novak Djokovic já reagiu. Afirmou estar “desapontado” por um tribunal ter indeferido o recurso que apresentara contra uma ordem de deportação e que o vai impedir de participar no Open da Austrália 2022. “Respeito a decisão do Tribunal e cooperarei com as autoridades competentes em relação à minha saída do país“, acrescentou.

Já o o Governo australiano congratulou-se com a decisão do Tribunal Federal do país de rejeitar o recurso do tenista sérvio Novak Djokovic contra uma ordem de deportação. “A política firme de proteção das fronteiras da Austrália manteve-nos em segurança durante a pandemia” de covid-19, afirmou o ministro da Imigração australiano, Alex Hawke, acrescentando: “Os australianos fizeram grandes sacrifícios para aqui chegar e o governo Morrison está fortemente decidido a proteger essa posição“.

O ministro australiano, recorde-se, cancelou o visto alegando que a presença de Djokovic no país pode constituir um risco para a saúde e “ser contraproducente para os esforços de vacinação de outros na Austrália”.

O visto de Djokovic foi inicialmente cancelado a 6 de janeiro no aeroporto de Melbourne, horas após a sua chegada para competir no primeiro torneio de Grand Slam de 2022, do qual fica afastado, com esta decisão.

Um funcionário fronteiriço cancelou o visto depois de decidir que Djokovic não era elegível para uma isenção médica das regras da Austrália para visitantes não vacinados.

As vitórias de Djokovic

Djokovic ganhou nove títulos do Australian Open, incluindo três de seguida, e um total de 20 troféus individuais do Grand Slam, empatados com os rivais Roger Federerer e Rafael Nadal pelo maior número na história do ténis masculino.

O domínio de Djokovic nos últimos tempos tem sido forte, ganhando quatro dos últimos sete grandes torneios e terminando como vice-campeão em outros dois.

A única vez que não chegou pelo menos à final nesse período foi no Open dos EUA de 2020, onde foi desclassificado na quarta volta por bater uma bola que acertou inadvertidamente na garganta de um juiz de linha depois de um jogo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tribunal australiano decide deportação do tenista Novak Djokovic

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião