Portugal fecha 2021 com 14,5 milhões de turistas, metade dos que teve em 2019

O turismo nacional registou 14,5 milhões de hóspedes em 2021, mais do que em 2020, mas cerca de metade do que registou em 2019.

O turismo nacional recuperou em 2021, superando muito do impacto causado pela pandemia em 2020. A estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE) indica que o setor fechou o ano com 37,5 milhões de dormidas e 14,5 milhões de turistas — 39,4% acima do ano passado, mas 46,4% abaixo de 2019, que tinha sido um ano recorde para o turismo.

Os alojamentos turísticos nacionais receberam 1,1 milhões de hóspedes em dezembro, num total de 2,6 milhões de dormidas. Estes números correspondem a subidas de 150% e 170,4%, respetivamente, face a dezembro de 2020, mas a descidas de 28,9% e 26,7% face a dezembro de 2019. Ainda no último mês do ano, as dormidas na hotelaria dispararam 177,6%, destaca o INE.

Em dezembro, 36% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes.

Analisando todo o ano de 2021, contaram-se 14,5 milhões de hóspedes, o equivalente a uma subida de 39,4% face a 2020 mas, ainda assim, a uma descida de 46,4% face a 2019, quando se bateu um recorde de 27 milhões de turistas.

No que toca a dormidas, estas totalizaram 37,5 milhões no ano passado, ou seja, 45,2% acima de 2020, mas 46,6% abaixo de 2019. As dormidas de residentes representaram 50,2% do total, significativamente acima da quota verificada em 2019 (30,1% do total).

Dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico, por mês:

Fonte: INEINE

Nos 12 meses do ano passado, a hotelaria concentrou 80,7% (30,2 milhões) do total de dormidas, tendo crescido 44,5% nas preferências dos hóspedes. O alojamento local (segmento que apresentou maior crescimento) aparece imediatamente atrás com 5,4 milhões de dormidas, seguido do turismo em espaço rural e de habitação com 1,86 milhões.

No conjunto do ano de 2021, o Reino Unido manteve-se como principal mercado emissor, representando 16,6% das dormidas de não residentes e tendo aumentado 54,6% face ao ano anterior, diz o INE. Atrás aparecem os mercados espanhol (14,3% do total), alemão (11,9%) e francês (11,8%). Os principais crescimentos observaram-se nos mercados irlandês (+202,1%), polaco (+169,5%), norte-americano (+141,3%) e suíço (+102,8%).

Numa análise às várias regiões do país, todas apresentaram acréscimos no número de dormidas, com realce para as evoluções apresentadas pelos Açores (+118,6%) e pela Madeira (+79,8%). “Comparando com 2019, todas a regiões apresentaram diminuição do número de dormidas”, sobretudo a Área Metropolitana de Lisboa (-58,2%).

(Notícia atualizada às 11h28 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal fecha 2021 com 14,5 milhões de turistas, metade dos que teve em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião