Ouro em máximos de onze meses após ataque à Ucrânia

O ouro está a valorizar 1,8%, atingindo máximos desde janeiro de 2021, em reação ao ataque russo a várias cidades ucranianas.

Os preços do ouro estão a subir, em reação ao ataque levado a cabo pela Rússia contra a Ucrânia. Os investidores estão a apostar em ativos seguros — como é o caso deste metal –, depois de Vladimir Putin ter dado “luz verde” àquela a que chamou “uma operação militar especial no Leste“, de acordo com a Reuters.

Nos mercados, o ouro valoriza agora 1,87% para 1.942,51 dólares por onça, o valor mais elevado desde janeiro de 2021.

As forças militares russas terão disparado mísseis contra várias cidades na Ucrânia e “estacionado” tropas na sua costa esta quinta-feira. Em reação, Bruxelas já anunciou que irá avançar com sanções “pesadas e direcionadas” contra setores estratégicos da economia russa.

O novo pacote de medidas será apresentado aos líderes da União Europeia ainda esta quinta-feira para aprovação e, segundo a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, visa bloquear “o acesso a tecnologias e mercados fundamentais” para Moscovo.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, classificou a situação que se vive agora na Ucrânia como “muito grave” e recomendou aos portugueses que se encontram nesse país que estejam vigilantes e aguardem orientações da embaixada portuguesa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ouro em máximos de onze meses após ataque à Ucrânia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião