Perdas do grupo EDP atiram PSI para o vermelho

A pressionar o índice de referência nacional estão as cotadas do grupo EDP. Contudo, Galp Energia trava perdas maiores do PSI, beneficiando da subida de cotações do petróleo.

A bolsa de Lisboa arranca esta segunda-feira com perdas ligeiras, com o PSI a contar agora com 15 cotadas após a saída da Pharol, Novabase, Ramada e Ibersol. A pressionar o índice de referência nacional estão as cotadas do grupo EDP. Já a Galp Energia sobe 1,75% à boleia da subida do petróleo nos mercados internacionais.

Pela Europa, o Stoxx 600 recua 0,1% a par com o alemão DAX, enquanto o francês CAC 40 desvaloriza 0,2% e o britânico FTSE 100 e o espanhol IBEX 35 estão inalterados, após uma semana de recuperação expressiva.

Lisboa acompanha a tendência vivida na generalidade das praças europeias. O PSI cede 0,08% para 5.688,28 pontos, depois de ter chegado a perder 0,18% no arranque da sessão. A pressionar o índice de referência nacional está o grupo EDP. A EDP Renováveis cede 1,22% para 22,66 euros, enquanto a “casa-mãe” desvaloriza 0,21% para 4,34 euros.

Nota negativa ainda para o setor da pasta e do papel, bem como para a Jerónimo Martins. Nas papeleiras, a Altri cede 1,41% para 5,605 euros, enquanto a Navigator perde 0,43% para 3,278 euros. Já as ações da retalhista dona do Pingo Doce desvalorizam 0,45% para 19,73 euros.

No polo oposto e a evitar perdas mais expressivas do índice de referência nacional está a Galp Energia. Os títulos da petrolífera portuguesa avançam 1,57% para 11 euros, beneficiando da subida de cotações do “ouro negro” nos mercados internacionais. O Brent, de referência europeia, já transaciona acima dos 110 dólares, pressionado pela guerra na Ucrânia e pelos ataques de rebeldes do Iémen a instalações petrolíferas na Arábia Saudita.

Nota positiva ainda para o BCP, cujos títulos somam 1,22% para 14,93 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Perdas do grupo EDP atiram PSI para o vermelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião