Rendas das casas sobem 7,7% para 6,04 euros por metro quadrado em 2021

Rendas aumentaram 8,3% no quarto trimestre de 2021, perfazendo uma subida de 7,7% na totalidade do ano. Ritmo de crescimento acelerou face a 2020.

Depois de uma subida de 5,5% em 2020, o ritmo de crescimento das rendas acelerou no ano passado. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), entre janeiro e dezembro de 2021, os arrendamentos ficaram 7,7% mais caros, perfazendo uma mediana nacional de 6,04 euros. Lisboa, como tem sido habitual, continua a ser a cidade mais cara para arrendar casa em todo o país (11,24 euros por metro quadrado).

No final do ano passado estavam realizados 87.349 contratos de arrendamento de alojamentos familiares no país, o que mostra uma subida de 9,4%, em linha com o aumento de 9,7% que já tinha acontecido de 2019 para 2020. Em 2021, o valor mediano das rendas subiu 7,7% para 6,04 euros o metro quadrado, acima dos 5,61 euros observados em 2020 — ano em que a subida foi de 5,5% — e dos 5,32 euros observados em 2019 (10,8%).

Taxas de variação homóloga da renda mediana por m² e do número de novos contratos de arrendamento para Portugal.INE

Houve 32 municípios com rendas acima do valor nacional, mantendo-se a capital como a cidade mais cara. Em Lisboa, onde foram celebrados 9.548 contratos de arrendamento — o número mais elevado do país –, o valor mediano das rendas fixou-se nos 11,24 euros por metro quadrado. Atrás vem Cascais (10,95 euros por metro quadrado), Oeiras (dez euros por metro quadrado), Amadora e Porto (ambos com 8,8 euros por metro quadrado).

Entre as 24 freguesias de Lisboa, apenas oito assistiram a um aumento nas rendas, com destaque para Santa Clara e Belém, que tiveram as maiores subidas — 8,1% e 5,7%, respetivamente. Santo António e Santa Maria Maior continuam a ser as mais caras: 13,33 euros e 13,09 euros por metro quadrado, pela mesma ordem. Santa Clara é a freguesia mais barata, com uma mediana de 8,59 euros por metro quadrado.

Por sua vez, das sete freguesias do Porto, apenas duas viram as rendas ficarem mais baratas — Ramalde e a União das freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos. Os maiores aumentos das rendas aconteceram em Campanha (+9,4%) e na União das freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde (+5,5%). Ramalde é a freguesia mais barata para arrendar casa na Invicta — 8,18 euros por metro quadrado.

(Notícia atualizada às 11h36 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Rendas das casas sobem 7,7% para 6,04 euros por metro quadrado em 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião