Rendas caíram 2% em Lisboa e subiram 2% no Porto. Veja os preços por freguesia

Rendas subiram 7,7% no ano passado, mas, numa análise por municípios, houve várias descidas. Em Lisboa e no Porto os cenários diferem.

No ano passado, as rendas subiram quase 8% para uma mediana de 6,04 euros por metro quadrado, de acordo com as contas do ECO feitas com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Mas houve várias descidas de preço um pouco por todo o país. Lisboa assistiu a uma descida de 2% nas rendas, tendência que se alastrou à maioria das suas freguesias. No Porto, as rendas subiram 2%, embora com descidas em duas freguesias.

No último trimestre de 2021, as rendas ficaram 8,3%. Isso contribuiu para um aumento de 7,7% para uma mediana de 6,04 euros na totalidade do ano, refere o INE. Foram 32 os municípios com rendas acima da mediana nacional, com Lisboa (11,24 euros por metro quadrado), Cascais (10,95 euros por metro quadrado), Oeiras (dez euros por metro quadrado), Amadora e Porto (ambos com 8,8 euros por metro quadrado) a destacarem-se.

Mas, analisando as duas principais cidades do país, as tendências foram diferentes. Lisboa continua a ser, de facto, a cidade mais cara para arrendar casa, mas as rendas caíram 1,9% em 2020. Entre as 24 freguesias da cidade, apenas oito escaparam às perdas. Santo António continua a ser a freguesia mais cara (13,33 euros/m2) e Santa Clara a mais barata (8,59 euros/m2).

Vejamos um exemplo. Arrendar um T2 com 70 metros quadrados em Santo António poderia custar 1.280 euros por mês, enquanto o mesmo T2 em Santa Clara custaria 600 euros.

Em termos de evolução das rendas, as maiores descidas de preços das rendas aconteceram em Carnide (-7% para 10,73 euros), São Domingos de Benfica (-6,4% para 10,83 euros) e no Areeiro (-4,8% para 10,392 euros). Santa Clara assistiu ao maior aumento: +8,1% para 8,59 euros por metro quadrado.

No Porto, das sete freguesias, apenas duas assistiram a uma descida das rendas. Na Invicta as rendas subiram 1,7% para uma mediana de 8,85 euros por metro quadrado, de acordo com o INE. A União das freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde passou a ser a mais cara para arrendar casa, com o metro quadrado a custar 9,53 euros, enquanto Ramalde passou a ser a mais barata (8,18 euros).

Vejamos um exemplo. Arrendar um T2 com 70 metros quadrados em Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde poderia custar 667 euros por mês, enquanto o mesmo T2 em Ramalde custaria 570 euros.

Em termos de evolução das rendas em 2021, houve uma descida de preços das rendas em Ramalde (-2,3% para 8,18 euros) e na União das freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos (-0,8% para 9,15 euros). Campanhã assistiu ao maior aumento das rendas: +9,14% para 8,61 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Rendas caíram 2% em Lisboa e subiram 2% no Porto. Veja os preços por freguesia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião