Parlamento britânico vai decidir se Boris Johnson deve ser investigado

  • Lusa
  • 19 Abril 2022

Na próxima quinta, o parlamento britânico vai debater e votar uma proposta dos trabalhistas sobre a abertura de um inquérito parlamentar ao primeiro-ministro pelo caso partygate no meio da pandemia.

O Parlamento britânico decide na quinta-feira se o primeiro-ministro, Boris Johnson, deve ser investigado por ter alegadamente mentido aos deputados sobre as “festas” que violaram as restrições da pandemia covid-19, foi esta terça-feira anunciado.

O presidente da Câmara dos Comuns, Lindsay Hoyle, revelou ter autorizado o líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, a propor um debate e votação para que a questão seja alvo de um inquérito parlamentar. No entanto, Boris Johnson não deverá estar presente porque tem previsto iniciar uma viagem oficial à Índia no mesmo dia.

Uma decisão favorável implica o apoio de membros do Partido Conservador, que tem uma maioria absoluta. Hoyle disse que não lhe cabe dizer se o código de conduta foi transgredido ou se o primeiro-ministro desrespeitou o Parlamento, mas entende que deve dar “oportunidade aos deputados para avaliarem” a proposta de Starmer.

A comissão parlamentar dos Privilégios vai investigar e produzir um relatório sobre a questão, que depois terá de ser votado pelos deputados. A oposição acusa Johnson de ter mentido deliberadamente no Parlamento, ao afirmar repetidamente que não tinha violado as restrições impostas para travar a propagação do coronavírus de proibir ajuntamentos numerosos em espaços abertos ou fechados.

Na semana passada, o primeiro-ministro, a mulher, Carrie Johnson, e o ministro das Finanças, Rishi Sunak, foram multados por terem participado numa festa de aniversário de Boris Johnson a 19 de junho de 2020, quando o país ainda estava sob confinamento.

Outros ajuntamentos em 2020 e 2021, a maioria em Downing Street, a residência e escritório oficiais do chefe do Governo, continuam sob investigação policial, escândalo que a imprensa denominou de “Partygate”.

As normas ditam que um político deve demitir-se se mentiu deliberadamente na Câmara dos Comuns, mas nada obriga Johnson, que vai esta terça fazer uma declaração sobre o assunto, a fazê-lo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Parlamento britânico vai decidir se Boris Johnson deve ser investigado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião